segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Legião Estrangeira em 1920


"A Legião é nossa Pátria! Honra e Fidelidade!"
Lema oficial da Legião Estrangeira

"Marche, ou morra!"
Lema não oficial da Legião.



Na década de 20, nenhuma força militar no mundo era mais famosa que a Legião Estrangeira da França. Por décadas, os feitos da Legião como tropa que defendia o Império Colonial francês ganharam notoriedade e atraíram milhares de voluntários para suas fileiras.

Muitos voluntários buscavam aventura ou o generoso pagamento, outros vinham para fugir da justiça, enquanto alguns se juntavam à Legião para esquecer o passado e recomeçar a vida. A Legião ficou conhecida por aceitar a todos sem distinção. Em uma época em que o abismo social e racial eram gritantes, a Legião foi um dos primeiros exércitos modernos (excetuando-se mercenários) a aceitar todas as raças, credos e nacionalidades.

A promessa da Legião Estrangeira era que todos seriam aceitos e teriam uma segunda chance... se sobrevivessem, é claro.

A LEGIÃO

A história da Legião Estrangeira está intimamente ligada a Revolução de Julho de 1831. Quando a Revolução terminou o Exército francês passou por uma profunda reformulação. Estrangeiros receberam ordem de abandonar as suas fileiras e apenas franceses natos poderiam seguir carreira nas Forças Armadas. A medida visava afastar estrangeiros, vistos com desconfiança e fazer com que eles servissem nas colônias distantes, territórios hostis que careciam de vigilância constante.

Aos soldados não-franceses foi dada a opção de se filiar a Legiòn Etrangere, uma força multinacional servindo aos interesses da França. A Legião foi montada para assegurar a conquista e o domínio da Colônia francesa na Argélia. Nãopor acaso, os desertos argelinos se tornaram o lar dos legionários franceses por mais de 130 anos.

Os soldados que compunham a Legião eram veteranos de revoluções fracassadas, desertores de outros exércitos, membros de regimentos debandados e rebeldes que haviam sido expulsos do exército regular. Todos podiam ser voluntários para a Legião, bastava completar o treinamento e jurar lealdade à corporação e a França.

Surpreendentemente essa horda de soldados teve enorme êxito. Eles não lutavam por uma causa, contudo encontravam uns nos outros companheirismo e honra. Os Legionários foram vitais para a sangrenta conquista da Argélia e participaram de outras batalhas que aumentaram a influência política da França.

Diante do improvável sucesso da Legião, a França resolveu permitir o ingresso de voluntários, garantindo o acesso de desertores, bandidos e criminosos condenados. A promessa que era feita no momento do alistamento era a seguinte: "Dêem o seu sangue pela França e seu passado será esquecido". Era uma oportunidade de ouro e muitos homens se agarraram a ela com unhas e dentes.

A Legião logo se converteu em uma força letal, lar dos homens mais perigosos do mundo.

Nada, no entanto, era mais duro que o treinamento ao qual os cadetes eram submetido. Quando um homem assinava os papéis como legionário ele deveria servir por um período de 4 anos nas piores condições possíveis. Imediatamente eles eram mandados para campos de treinamento mantidos em regiões isoladas, nos desertos inóspitos do Saara ou nas selvas da Indochina. Os homens recebiam um treinamento brutal tendo de superar violentos desafios físicos e mentais. O objetivo dos instrutores era quebrar o espírito rebelde dos candidatos e forjar em cada um, total comprometimento com seus companheiros e oficiais.

Na Legião não havia espaço para desertores. Virar as costas para um irmão legionário era o crime mais grave do Código de Conduta gravado a ferro e fogo na alma de cada homem. Lutar até a morte, dar sua vida pela França e derrotar os inimigos eram os demais mandamentos do Código repetido exaustivamente.

Os legionários recebiam treinamento com armas, marchavam até a exaustão e aprendiam táticas militares. Especula-se que a Legião Estrangeira tenha sido o primeiro exército do mundo a oferecer treinamento de infiltração e sabotagem. Acredita-se também que o rigor dos instrutores tenha servido de base para o treinamento de unidades de elite modernas como os Marines e Navy Seals.

Terminado o treinamento, os Legionários recebiam o famoso quepe branco que os identificava como membros da corporação. Em seguida eram enviados para os fortes da Legião mantidos nas Colônias. Ao chegar nesses postos avançados, os homens já estavam condicionados a servir até a morte. Muitos se destacavam pela sede de sangue. Durante a ocupação da Argélia, a brutalidade se tornou uma marca registrada dos legionários. Os Soldados da Legião eram temidos pelos insurgentes locais, que os chamavam de "cães raivosos".

A função principal dos Legionários era enfrentar rebeldes e evitar levantes populares. Eles estiveram presentes em praticamente todas as guerras disputadas pela França a partir de 1830, inclusive a Guerra Franco-Prussiana e a Rebelião na Indochina (atual Vietnã)

Durante a Grande Guerra Mundial, a Legião serviu com distinção nos campos de batalha da Europa, no front de batalhas sangrentas como Somme e Verdun. Muitos voluntários americanos se tornaram voluntários na Legião Estrangeira diante da indecisão da América em ingressar na Grande Guerra. talvez esse envolvimento direto tenha ajudado a criar uma aura de glamour a respeito da Legião.

Contudo, em nenhum outro lugar o envolvimento da Legião foi mais marcante do que na Argélia. Durante os anos 20-30, a Argélia era uma das colônias mais rebeldes sob o domínio da França. Os legionários enfrentavam um inimigo bem organizado e em número muito maior. As batalhas nas areias escaldantes do Saara custaram milhares de vidas para ambos os lados.

5 comentários:

  1. Muito bom o artigo, bom background para desenvolver uma aventura pulp.´Aliás, vou até desenvolver um aventura rápida pra Savage Worlds usando esse background. Valeu.

    ResponderExcluir
  2. Guimas, você sabe que já está pronta a versão de Cthulhu com regras de Savage Worlds? o clima deve ser mais pulp...

    Quando souber mais a respeito comento aqui.

    ResponderExcluir
  3. Excelente artigo, estava demorando para aparecer um blog bom com material para sistemas de horror.

    ResponderExcluir
  4. Opa King, sim. Quero adquirir o Realms of Cthulhu, mas a Reality Blurs liberou a pré-venda apenas para dentro do país, quero aproveitar e comprar o bundle (pdf + print). Assim que possível foi colocar uma resenha no site da RetroPunk (http://www.retropunk.net)

    ResponderExcluir