terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Solomon Kane em Quadrinhos e Livros

Eu sempre adorei os quadrinhos baseados nos personagens de Robert E. Howard.

Lembro que quando era moleque adorava a Espada Selvagem de Conan, uma revista mensal da Abril, em Preto & Branco que aqueles com mais ou menos 25-30 anos e gosto pelo gênero fantasia, devem se recordar muito bem.

Espada Selvagem trazia em primeiro lugar estórias de Conan, o Bárbaro (afinal é o nome que está na capa), mas de vez em quando um outro personagem criado por Howard fazia aparições especiais em estórias curtas. Não estou falando de Kull, nem Sonja e menos ainda de Bran Mac Morn... estou falando de Solomon Kane.

Kane foi magnificamente adaptado para os quadrinhos na década de 70, pelo mesmo roteirista responsável pelas melhores estórias de Conan: Roy Thomas. Thomas está para os quadrinhos dos anos 70, como Frank Miller, Neil Gaiman e Alan Moore estão para as décadas seguintes. O cara estava em praticamente todas as grandes publicações da Marvel Comics e por muito tempo foi o "garoto dourado" que sentava à direita de Stan "the man" Lee ("il capo di tutti capi" da Marvel).

Ninguém conseguiu chegar tão perto das narrativas furiosas de Howard quanto o nerd Thomas. E se isso vale para Conan, com certeza também vale para Solomon Kane. Contos como "Asas da Noite" e a "A Mão do Necromante" ganharam adaptações perfeitas para os quadrinhos desenhados por nomes consagrados como Howard Chaykin, Don Glut e Neal Adams.

Finalmente depois de anos posso dar um descanso às minhas amareladas edições de Espada Selvagem, e me dedicar a ler a coleção completa de estórias do andarilho Puritano graças ao lançamento de "The Saga of Solomon Kane".

O livro com mais de 400 páginas é dedicado exclusivamente ao puritano e suas sangrentas peripécias pela perigosa época da Rainha Elizabeth I. Lançado pela editora Dark Horse, o livro é uma edição luxuosa em preto e branco com Roy Thomas em seu ápice narrativo ao longo de 21 estórias clássicas.

Robert E. Howard com certeza teria aprovado!

Mas se você prefere algo mais clássico que tal mergulhar de cabeça nos contos de Solomon Kane?
"The Savage Tales of Solomon Kane" compreende em um único volume, todas as estórias originais e poemas protagonizados pelo aventureiro puritano. Escritas na década de 20 e 30 em revistas como a Weird Tales, as aventuras envolvem capa e espada, mas também boa dose de horror sobrenatural na melhor tradição de colegas de gênero como H.P. Lovecraft.

Nas estórias ficam claras as principais características do aventureiro: Obsessão, um estranho senso de justiça e a disposição para caçar e destruir o mal custe o que custar. Em sua Cruzada Purificadora (e algo insana) pelos recônditos do Velho Mundo, Kane enfrenta espadachins vilanescos, piratas sanguinários, magia negra, cultos malignos e as mais tenebrosas monstruosidades.

Se você tem um fraco por aventura de capa e espada, ação, horror, história do século XVI e o gênero fantástico, este livro é imperdível. Os contos são apresentados da forma que foram escritos, o que significa dizer que não houve censura em estereótipos raciais e atitudes politicamente incorretas em voga nas décadas de 20 e 30.

O livro tem acabamento e papel de excelente qualidade. A fabulosa arte interna de Gary Gianni adorna cada página, os desenhos se espalham pelas margens e ocasionalmente em painéis de página inteira. Essas gravuras contribuem para tornar o simples ato de folhear o livro um prazer.
Além das estórias clássicas, "The Savage Tales of Solomon Kane" inclui fragmentos incompletos na época da morte do autor. Ao contrário de edições anteriores, aqui eles não são completados pelo escritor Ransey Campbell.

Para referência de novos leitores, a edição inclui dois ensaios sobre a vida de Howard. Primeiro, um texto in memorium assinado por Lovecraft (correspondente de Howard por anos) que escreveu uma espécie de elegia na ocasião do suicídio do amigo em 1936. Em seguida, o acadêmico Rusty Burke faz um resumo da carreira do autor texano.

Para quem é fã de Solomon Kane e que conheceu o personagem através dos quadrinhos essa é uma chance de ler as estórias na sua forma original como foram apresentadas e idealizadas por Howard. Tudo em uma edição muito bonita.

Lendo os contos cheios de ação e aventura é surpreendente constatar como eles continuam empolgantes mesmo depois de quase 80 anos.

2 comentários:

  1. Gostaria de saber se existe o livro em pt-br? meu inglês é péssimo. Vi o trailer e mi interessei parece ser um personagem bem peculiar.

    ResponderExcluir
  2. Bom blog! Descobri ao pesquisar sobre o Solomon, já que acabei de ler a edição que saiu no Brasil; Literatura pulp da maior qualidade!

    ResponderExcluir