sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Abrindo as portas para o Inferno - Cenobitas e Leviathan em Call of Cthulhu

A dimensão infernal apresentada na mitologia de Hellraiser é habitada por seres assustadores e de completa corrupção.

Esta região fronteiriça é acessada através dos artefatos conhecidos como Configurações. Tais objetos foram supostamente construídos pelo artesão Phillip Lemarchand em meados do século XVII, mas há indícios da existência de tais peças em épocas muito mais antigas. Durante as Cruzadas do século XVII por exemplo, uma caixa semelhante foi encontrada no tesouro de Osman III, reclamado pelos cruzados em Acre. O historiador Omar Kayan o menciona em algumas de suas poesias. Na Roma Antiga, o tribuno Aulus Suetonio contemporâneo de Augusto se orgulhava de possuir uma peça que chamava de "Cubo dos Prazeres", mais tarde presenteada a Calígula.

Não se sabe contudo, de que maneira esses indivíduos conseguiram os cubos ou o destino deles.

CENOBITAS

A manipulação de uma configuração altera os desenhos na superfície exterior. Essas alterações tem por efeito abrir um portal dimensional entre a nossa realidade e uma dimensão associada ao Inferno. Os cenobitas, seres que habitam esta dimensão, são atraídos quando um portal é aberto e imediatamente um a quatro deles se apresentam para confrontar o responsável pela abertura do portal. A função principal dos cenobitas é escoltar o indivíduo para a dimensão infernal onde ele será submetido a todo tipo de tortura e perversidade concebível. O ritual é conhecido como Transcender a Carne e pode se prolongar por meses, já que a habilidade dos cenobitas em tortura é legendária.

Há controvérsia a respeito da origem dos cenobitas. A maioria dos ocultistas acreditam que eles foram criados por Leviathan, a entidade que moldou a dimensão infernal e que a controla. O raro tomo Caenobium explica que Leviathan seleciona humanos previamente submetidos a tortura e os transforma em Cenobitas quando estes demonstram vocação para abraçar a servitude pela eternidade. Um cenobita é modificado de tal forma que sua mente se torna incapaz de recordar seu passado e tudo o que o move é o desejo de agradar seu mestre.

A aparência dos cenobitas pode variar enormemente e atende apenas ao padrão definido por Leviathan no momento da criação. Muitas vezes a criatura mantém algum tipo de vínculo bizarro com sua vida pregressa. Um cenobita criado a partir de um humano que em vida foi um médico pode ressurgir como uma horrenda paródia desse tipo de profissional com dedos de bisturi, máscara e avental cirúrgico.

Não se sabe ao certo se os cenobitas estão realmente vivos ou se eles não passam de uma força que habita seus corpos toscamente mutiliados. A pele deles é pálida, fria e cadavérica, esticada sobre os ossos até o ponto de se rasgar, costurada por linhas e correntes. Seus trajes são feitos de couro escuro, mas em alguns casos eles aparecem nus deixando ainda mais evidente as brutais cicatrizes, feridas e escarificações que carregam na carne com distinção. Cada cenobita é especialista nas formas mais dantescas de tortura conhecidas pelo homem e eles aperfeiçoam essa perícia ao ponto de convertê-la em uma arte. Para auxiliá-los em seu ofício, carregam ferramentas de aspecto medonho, correntes, ganchos e armas extremamente afiadas que pendem nos seus cintos ou que levam em suas mãos delicadas.
Alguns cenobitas são incrivelmente ardilosos, eles são capazes de seduzir, persuadir e manipular as pessoas através de jogos de palavras e acordos. Em última análise aqueles que aceitam barganhar com um cenobita acaba irremediavelmente condenado e no processo leva consigo vários inocentes.

O número total de cenobitas à serviço de Leviathan é desconhecido, alguns são mais proeminentes do que outros, existindo uma hierarquia. O Caenobiun menciona que os cenobitas fazem parte de algo chamado "ordem do ferimento", um tipo de sociedade que os congrega na adoração ao seu senhor Leviathan. Dentre os cenobitas proeminentes nessa hierarquia um deles é citado várias vezes e sua função se assemelha a de um hierophanta. Conhecido como "a ferida que nunca sara" essa figura soturna tem a face adornada por pregos cravados até o crânio.

Ataques: Cenobitas exercem uma espécie de controle telecinético sobre suas armas e ferramentas de tortura. Sua arma favorita, usada sobretudo para imobilizar as vítimas, são correntes dotadas de ganchos serrilhados. Um cenobita é capaz de controlar até seis dessas correntes simultaneamente com um alcance de até 50 metros. O cenobita pode usar essa arma para imobilizar sua vítima fazendo com que os ganchos se fixem na carne profundamente restringindo suas ações. A vítima pode tentar se libertar das correntes rolando na Tabela de Resistência (STR X STR, sendo a corrente a força ativa fixada em 12 com um modificador de + 3 para cada corrente adicional). Mesmo que o personagem consiga se livrar da corrente ele recebe 1d3 pontos de dano adicional por corrente fixada.

O conhecimento apurado da anatomia humana e dos centros nevrálgicos de dor, permite aos cenobitas direcionar seus ataques em áreas críticas. Seus ataques, independentemente da arma, sempre causam dano crítico.

Cenobitas, raça servil menor

STR 3d6
CON 2d6+9
SIZ 3d6
INT 2d6 +6
POW 3d6 +6
DEX 3d6
Movimento 7

HP: 12

Bônus de dano médio: +1d4

Armas: Correntes e ganchos serrilhados 75%, dano 1d6 - os cenobitas podem controlar até seis delas ao mesmo tempo. Cada uma executa um ataque independente.

Armas brancas (Facas, Lâminas, Garrotes, atiçadores de lareira e uma infinidade de instrumentos) 65%, dano da arma (considerado sempre crítico).

Habilidades: Barganha 70%, Sentir presença humana 80%, Psicologia 50%, Intimidação 85%, Tortura 99%

Armadura: 1 ponto de proteção pelas roupas de couro reforçado. Adicionalmente, os cenobitas cenobitas não possuem órgãos internos, não estão sujeitos a hemorragias ou dor física. Ataques de qualquer natureza, exceto armas mágicas, causam dano mínimo.

Magias: Cenobitas conhecem no mínimo 1d3 magias.

Sanidade: O custo é variável de acordo com a forma do cenobita. A perda pode variar entre 0/1 a 1/1d8 pontos de sanidade por ver um cenobita. O custo de sanidade por ser torturado por um cenobita é de 2/1d10 +1 a cada hora.

LEVIATHAN

Leviathan, o senhor da dimensão infernal é um deus geométrico que se assemelha a uma colossal estrutura metálica em forma de losango.

Essa entidade flutua no centro de um interminável labirinto construído com tijolos, girando sobre sua própria base a medida que emite feixes de luz negra. Leviathan pode ser visto de todos os pontos da dimensão infernal e sua presença lembra a de um farol guiando as pessoas até sua posição.

Mais do que uma criatura viva, Leviathan é um deus conceitual e abstrato, uma força que expressa os desejos humanos de experimentar prazeres e evitar o sofrimento. Leviathan perverte esses conceitos fundindo dor e prazer em uma mesma sensação. O Caenobiun sustenta que Leviathan se alimenta do sofrimento humano e que canaliza essas sensações a fim de manter a coesão e expandir os seus domínios.

A luz negra de Leviathan pode ser lançada sobre indivíduos na dimensão infernal. Aqueles que são tocados por essa luz negra experimentam memórias e sensações estranhas (muitas delas alienígenas) em um verdadeiro turbilhão emocional. O efeito direto é ficar estupefato incapaz de reagir por 1d10 horas enquanto a mente tenta correlacionar o que aconteceu. O dano psicológico, manifestado pela perda de sanidade, deve ser definido pelo keeper de acordo com as visões incutidas por Leviathan. Como regra geral o keeper pode definir que cada hora nesse estado tem um custo de 1d6 pontos de sanidade. Leviathan pode invocar quantos cenobitas desejar imediatamente para lidar com oponentes.

A luz negra também pode ser usada para transformar uma pessoa em cenobita. Leviathan reserva essa "benção" apenas aos humanos que foram submetidos ao ritual de Transcender a Carne. Aparentemente não há um limite para quantas vezes Leviathan pode manifestar esse poder, mas ele costuma usá-lo apenas nos humanos que o agradaram. A transformação leva apenas alguns instantes e o cenobita recém criado surge sem memórias de sua prévia existência humana.

Leviathan, Deus Exterior

STR n/a
CON 100
SIZ 80
INT 50
POW 70
DEX n/a
Move 0
HP: 90

Armas: Luz Negra 100%, dano choque mental com duração de 1d1o horas.

Armadura: 25 pontos revestimento metálico.

Magias: Qualquer magia que o keeper julgar adequada.

Sanidade: 1/1d4 pontos de sanidade por ver Leviathan, ser exposto à sua luz negra pela primeira vez ocasona uma perda adicional de 1d4/1d20.

A Mitologia de Hellraiser encontra os Mythos de Cthulhu

Um dos principais problemas de relacionar o universo de Hellraiser com os Mythos diz respeito a idéia que as forças cósmicas do Mythos não se importam com a humanidade. Os humanos nada mais são do que uma forma de vida menor e transitória cuja importância é praticamente nula.

Lovecraft definiu muito bem o conceito que a humanidade não representa nada diante das forças esmagadoras do universo. Seres como Azathoth, Shub-Niggurath, Yog-Sothoth são criaturas que representam conceitos cósmicos como entropia, vida e tempo. Não há como mensurar o distanciamento entre estes seres e a humanidade, seria o mesmo que comparar uma metrópole com um colônia de ácaros.

Leviathan tem todos os requisitos para ser compreendido como um Deus Exterior. Ele detém uma força notável e rege um conceito bem definido, os estímulos sensoriais sejam de prazer ou de dor. Ele também é servido por uma raça, venerado como uma divindade, controla inteirmanete uma dimensão... todos esses quesitos se encaixam no profile de um deus exterior.

O que não encaixa é o fato dele não apenas se importar com a humanidade, mas necessitar dela. Sem a humanidade, Leviathan não seria capaz de sustentar a dimensão infernal. Leviathan portanto tem um vínculo quase simbiótico estabelecido com uma raça menor sem a qual sua existência estaria comprometida.

É possível no entanto imaginar alternativas para isso. É possível inferir que Leviathan não é inteiramente dependente de humanos, mas o elo entre eles parece mais sólido que o da maioria dos outros deuses. Mesmo Shub-Niggurath uma entidade que representa o ciclo vida-crescimento-reprodução-morte, independe da raça humana pois se refere a tudo no cosmo que experimenta esse ciclo. Nós podemos então supor que Leviathan seja uma divindade que se manifesta para outras espécies no universo, representando para elas o mesmo ethos. Talvez os Mi-go ou os Yithians tenham seu equivalente a Leviathan.

Também é possível que Leviathan seja a manifestação de um Deus Exterior, um avatar. Nesse caso fica a questão: "qual deus poderia se converter em Leviathan?

Daoloth parece ser uma boa opção, não apenas pelo seu aspecto geométrico, mas pelas implicações de que ele é o Deus das Fronteiras e Dimensões. Outra opção é pensar em Yog-Sothoth como a verdadeira face de Leviathan, uma força que rege as passagens, os portais e os caminhos, bem como o espaço e tempo.

6 comentários:

  1. G-O-S-T-E-I D+

    Cara esse post e o anterior sobre hellraiser vieram muito a calhar para a aventura que estou bolando.

    Mais uma vez meus parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  2. Interessante, depois não esqueça de falar como foi a aventura.

    ResponderExcluir
  3. cara, meus parabéns pelo bog, é fantástico! conheci faz pouco, mas tenho passado horas escavando por aqui, e tirando um bom número de boas idéias pra uma vindoura camapnha de daemon.

    sou novo no universo dod mythos e nisso o blog também tem sido de uma ajuda inestimável.

    Quanto aos cenobitas, apesar de ser fã deles e de quase tudo que diz respeito ao barker, pessoalmente, usaria o cubo mais como uma peça envolta em mistério, e provavelmente usaria os cenobitas apenas como figuras-chave pra uma trama.

    acho que o amigo poderia abordar de forma interessante em posts futuros, outras duas criações do Barker; a Raça das Trevas, e os elementos do conto/filme Trem de Carne da Meia-Noite

    ResponderExcluir
  4. Além de avatar de Daolath ou Yog-Sothoth, o Leviatã poderia ser uma das máscaras de Nyarlathotep, já que este é a divindade que mais lida com humanos.

    Talvez esta máscara específica dependa dos humanos para se suster. Isto não afetaria o Outer God em si, apenas a máscara.

    Ainda mais "mind-shattering" seria se essa máscara tb fosse ao mesmo tempo um avatar de Daolath. Como conciliar isso em termos de sanidade, mesmo para alguém que conhece o Mythos?

    ResponderExcluir
  5. Eu pensei em outra possibilidade.

    Leviatan é uma das máscaras de Nyarlathotep. Na verdade, ele não depende da raça humana: ele brinca com ela. Ante aos valores deturpados de dor e prazer, e ciente da dependência humana dos estímulos sensoriais para dar sentido ao seu vazio existencial, Nyarlathotep explora os limites da dor, ensino aos humanos a transcendência aos prazeres carnais/sensoriais para alcançar um novo estágio de corrupção de deterioração da alma humana.

    Dentre as diversas seitas espalhadas pela Terra que veneram os conceitos corrompidos de dor e prazer, de exploração dos limite dos sentidos, o "Culto do Prazer e da Dor" é o mais importante. Nyarlathotep "presentei-a" os aprendizes mais fiéis, capazes de sobreviver ao ritual de "Transcender a Carne", com poderes especiais, tornando-os seres depravados, insensíveis e perversos: os cenobitas. Nyarlathotep utiliza-os ao seu serviço para continua a brincar com os que se atrevem a buscar o prazer na dor, ou a dor no prazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei dessa ai, mas vi aqui que esse Deus é um deus de caos e loucura, e me lembro de ler um HQ antiga do Hellraiser em que os Cenobitas definem Leviathan como sendo um deus de Ordem e não Caos, Caos é o nosso mundo para eles.

      Excluir