terça-feira, 21 de maio de 2013

Ouçam o Chamado - Entrevista com Pedro Ziviani da Editora Terra Incógnita sobre "O Chamado de Cthulhu" no Brasil



Olá pessoal,

Como prometido aqui está a entrevista com Pedro Ziviani da recém-chegada Editora Terra Incónita, que planeja o lançamento do Livro Básico de "O Chamado de Cthulhu" no Brasil.

Ele fala um pouco de sua experiência como jogador, mestre e autor de livros, de como foi obter a licença com a Chaosium, de Call of Cthulhu, do Financiamento Coletivo e dos planos da Terra Incógnita no Brasil.  

É claro, está um pouco cedo para algumas informações, mas a medida que elas forem sendo divulgadas, vocês poderão ler aqui no Mundo Tentacular. 

Foto enviada pelo entrevistado ao lado de Charlie Krank presidente da Chaosium Inc.


1 - Pedro, antes de mais nada, parabéns pela iniciativa, obrigado pela entrevista e por finalmente trazer o Chamado de Cthulhu para o Brasil. Você imagina como essa notícia alegrou os jogadores brasileiros?

Obrigado por este espaço no seu fenomenal blog! Venho acompanhando o Mundo Tentacular já há muito tempo. Nós, da Terra Incógnita, somos grandes fãs de Call of Cthulhu, e é uma honra podermos trazer o jogo ao Brasil. Estamos muito satisfeitos com a reação inicial de interesse dos jogadores ao anúncio, e estamos entusiasmados para construir uma grande comunidade de jogadores em torno de Chamado de Cthulhu.


2 - Como foi a negociação com a Chaosium para conseguir a licença necessária para a publicação do Livro Básico aqui no Brasil? Foi muito difícil obter essa permissão?
Já por vários anos venho conversando com a Chaosium sobre adquirir a licença para publicação do Call of Cthulhu no Brasil, mas a licença não estava disponível. Quando surgiu a oportunidade de negociar a licença, a Chaosium já sabia que eu estava esperando, pronto para assinar o contrato. A negociação em si não foi difícil, mesmo porque eu já vinha trabalhado para Chaosium antes como escritor freelancer, e assim tenho um bom relacionamento com os diretores da editora. Na minha experiência, é sempre um prazer lidar com o pessoal da Chaosium.


3 - O Livro Básico de Chamado de Cthulhu tem um status quase mítico entre os jogadores brasileiros. É um RPG que muitos ouviram falar, mas poucos tiveram a chance de conhecer a fundo e menos ainda de jogar. Além disso, há rumores sobre a sua publicação no Brasil há pelo menos 15 anos. Na sua opinião qual a razão do interesse que ele desperta?

Quando Call of Cthulhu foi publicado em 1981, ele era não só um jogo inovador pela sua temática de horror, mas também revolucionário quanto à experiência oferecida ao jogador. A grande sacada do Call of Cthulhu é a experiência de se jogar com um personagem que é uma pessoa comum, e assim muito mais próximo ao próprio jogador do que o grande herói de outros RPGs, e em se lidar com a questão fundamental "O que você está disposto à sacrificar para fazer o que precisa ser feito?". Ainda, o universo criado por H. P. Lovecraft é único e cheio de fascinantes histórias, lugares e entidades; perfeito para aqueles dentre nós que curtem histórias de terror e mistérios.


4 - Chamado de Cthulhu possui um sistema (o BRP) que mudou muito pouco desde o seu lançamento há mais de 30 anos. Na sua opinião, qual é o segredo do sucesso dele?
O segredo do sucesso do sistema BRP é a sua simplicidade, que faz com que ele seja muito fácil de se aprender e ainda muito rápido em jogo. A base percentual do sistema é brilhante em sua clareza; não existe maneira mais fácil de explicar para alguém quais são as suas chances de sucesso em determina ação do que expressá-las em percentagem. Também, as habilidade são auto-explicativas, e assim nunca é necessário parar o jogo para se consultar o significado de uma delas. Essas características fazem com que o sistema seja muito fácil para introduzir à iniciantes, e que "desapareça" durante o jogo e não atrapalhe a narrativa que o grupo está construindo. Também, BRP é um sistema modular e muito fácil de se modificar, remover partes que você não gosta, incluir novas regras, sem quebrar o sistema.


5 - O que o sistema/ambientação de Chamado de Cthulhu tem a oferecer ao jogador brasileiro?

Eu acredito que Chamado de Cthulhu tem à oferecer ao jogador brasileiro uma nova opção de RPG de horror que funciona muito bem tanto para histórias curtas de uma sessão apenas, quanto para longas campanhas que duram anos com os mesmos personagens, e regras muito fáceis de aprender.   

Chamado de Cthulhu, na minha opinião, é o jogo ideal para introduzir novos jogadores ao hobby. Sua ambientação, que assume que o personagem do jogador é ignorante das grandes verdades do universo, significa que não necessário que os jogadores aprendam sobre o universo do jogo de antemão. O sistema de regras pode ser explicado em poucos minutos, e personagens criados em dez minutos ou menos. E todo mundo gosta de uma boa história de mistério!


6 - Call of Cthulhu é publicado em vários idiomas, algumas edições são bem diferentes da original feita pela Chaosium. Em relação ao Livro Básico americano haverá mudanças no texto, na arte (interna e capa) ou no layout/diagramação? Você pode adiantar algumas informações sobre como deve ficara edição brasileira (cor, tipo de papel, capa etc.)?

Teremos capa e arte interna totalmente novas. O livro terá interior em preto e branco, e usará elementos de diagramação que remetem ao período clássico da década de 1920. Revelaremos mais detalhes e previews da diagramação e arte ao decorrer do trabalho de produção do livro.


7 - Muitos mestres já possuem o Call of Cthulhu Core Gamebook em inglês, qual seria a vantagem para um Guardião veterano ter também o Chamado de Cthulhu em português?
Estamos nos esforçando para produzir um livro de alta qualidade, e que até mesmo Guardiões veteranos vão querer ter para se inspirar com a nova arte e outros elementos gráficos. Ainda, ter o livro em português, com a ficha de personagem e termos de regras em português, faz com que seja mais fácil trazer novos jogadores ao grupo que talvez não dominem tão bem a língua inglesa.


8 - Uma questão que sempre deixa os leitores apreensivos envolve a tradução do material original. Como ela está sendo feita e quem são os responsáveis? Como está indo essa parte?

Realmente, H. P. Lovecraft é conhecido por sua linguagem peculiar, e pelo uso de palavras antiquadas e incomuns, que podem ser difíceis de traduzir. Nós da Terra Incógnita estamos tomando todo o cuidado possível com a tradução, conferindo quando possível as traduções já feitas no Brasil, e também o uso dos termos que já foi estabelecido dentro da comunidade de jogadores brasileiros de Call of Cthulhu.


9 - Porque vocês optaram pelo lançamento da Sexta Edição de Call of Cthulhu, quando a Chaosium já acenou com uma possível Sétima Edição?

A Chaosium ainda não anunciou oficialmente a sétima edição. Apenas depois da publicação em inglês, que ainda não é certo quando será, ela estará disponível para as editoras licenciadas. E como a sétima será bem diferente das anteriores, eu acho interessante publicar a sexta que é compatível com os mais de cem suplementos que de CoC que já foram publicados.


10 - A Terra Incónita optou por um Financiamento Coletivo. O que pode ser adiantado a respeito de datas, da campanha e do cronograma se ele for um sucesso?

Ainda não temos data definida para o financiamento coletivo. Faremos um anúncio em breve à esse respeito.


11 - Também no que diz respeito ao Financiamento Coletivo, o que vocês pensam oferecer como "add ons" e recompensas para as metas a medida que elas forem  atingidas?
Estamos planejando vários add-ons para a campanha, que ainda não podemos divulgar. Também, gostaríamos de saber a opinião dos fãs sobre o que eles querem ver como recompensas e add-ons na campanha de financiamento.


12 - Uma pergunta central diz respeito ao custo. Vocês já tem alguma projeção de quanto irá custar o livro?
A nossa intenção é produzir um livro seja o mais acessível possível, enquanto não comprometendo a qualidade que acreditamos que Chamado de Cthulhu merece em sua edição brasileira. Anunciaremos o preço junto com a data de financiamento assim que possível.


13 - A Terra Incógnita pretende publicar outros livros do selo Call of Cthulhu no Brasil? A licença obtida cobre também outros livros/suplementos publicados lá fora?
A nossa licença com a Chaosium cobre toda a linha de suplementos de Call of Cthulhu publicada no mercado americano. Temos planos para trazer ao Brasil vários dos melhores suplementos e campanhas, e também para publicar suplementos originais escritos por autores brasileiros.


14 - A Terra Incógnita pretende explorar apenas Chamado de Cthulhu ou existe a possibilidade de publicar outros jogos/sistemas? Não me refiro apenas aos norte-americanos, mas sistemas europeus, ainda pouco conhecidos no Brasil, estão nos seus planos?

No momento estamos focados em publicar o Chamado de Cthulhu e seus suplementos, mas há sim a possibilidade de publicarmos no futuro outros RPGs americanos e Europeus, assim como RPGs originais.


15 - A Terra Incógnita pode fazer lançamentos/ publicações de material original para Chamado de Cthulhu? Se sim, está nos seus planos utilizar autores e artistas brasileiros para livros 100% originais?

Já estamos planejando sim lançar suplementos para Chamado de Cthulhu escritos por autores brasileiros. Esperamos fazer um anúncio e tanto nesse sentido em breve.


16 - Pedro, gostaria que você se apresentasse e aos seus colegas da Editora.

Terra Incógnita são três amigos de longa data, e veteranos jogadores de RPG de mais de duas décadas cada um.

Eu me encontro no momento morando próximo ao polo norte, em um lugar gelado chamado Hafnarfjörður, cercado por elfos e trolls. Estudei História na Uni-BH, em Belo Horizonte, e no momento estou cursando Estudos Folclóricos na Universidade da Islândia. Quando eu não estou trabalhando com a produção do Chamado de Cthulhu, ou escrevendo para a Chaosium, ou praticando arco e flecha, trabalho com telecomunicações. Sou autor do Mythic Iceland, um cenário para o sistema BRP sobre a Islândia na era da Sagas Vikings, publicado pela Chaosium.

Kairam Hamdan, além de ser dono da maior coleção de RPG já vista em terras tupiniquins, é professor de Filosofia na PUC/BH e está fazendo, na UFMG, seu doutorado em algo que nenhuma mente sã consegue entender exatamente. Coleciona livros, revistas e gibis a mais de trinta anos. 

Mauro Lúcio é formado em história pela PUC/BH. Quando não está trabalhando, passa a maior parte do tempo disseminando o caos e anarquia nas mesas de RPG. Sua fama com os dados é legendária e levou à completa destruição vários grupos. Além disso, é um entusiasta de H. P. Lovecraft e Edgar Alan Poe.


17 - Alguns dizem que o Mercado Nacional de RPG está em crise. O que você pensa a respeito dos riscos de mergulhar nessa atividade e quais seus objetivos para a Terra Incógnita?

Eu não acredito que o mercado de RPG no Brasil, ou no exterior, esteja em crise. É verdade que o mercado já foi maior em termos de número de jogadores, e pode ser que não veremos novamente o número de jogadores que existia vinte ou quinze anos atrás, mas o que temos agora é uma variedade muito maior de jogos e um público dedicado ao hobby que ainda é bem grande. Temos confiança de que ainda existe no mercado espaço para bons jogos, tanto clássicos como Chamado de Cthulhu, quanto novos jogos originais.


17 +1 - Finalmente, creio que essa é a pergunta mais importante e por isso deixei para o final: A Terra Incógnita serve ou tem alguma ligação com o Culto de Cthulhu? Vocês pretendem conquistar as mentes e almas dos leitores brasileiros levando todos a loucura e obliteração?

Não podemos confirmar ou negar nossa ligação com um culto à Cthulhu ou outra entidade inominável. Podemos confirmar apenas que pretendemos conquistar o mundo! Agora tenho que ir, antes que as estrelas saiam de alinhamento para o ritual de hoje de encantamento do Chamado de Cthulhu. Iä! Iä!



11 comentários:

  1. Estamos acompanhando com avidez as novidades. Acabei de lançar a campanha Masks of Nyarlathotep nos encontros da RPGArautos e poucas horas depois soube do projeto. Tomara que possa incluir o livro em português antes do grupo inteiro morrer!

    ResponderExcluir
  2. Muito feliz com a notícia sobre o Chamado de Cthulhu e muito animado com as respostas da entrevista.

    Que tal uns dos add-ons ser justamente uma mega aventura clássica?

    ResponderExcluir
  3. Esta é uma ótima notícia!

    A quem interessar possa, tenho um blog onde posto ocasionalmente algumas histórias curtas de horror, baseadas em passagens bíblicas.

    O endereço http://horrorfantastico.blogspot.com.br.

    ResponderExcluir
  4. Cara, que venha logo o financiamento, já quero o meu livro em mãos! Minhas sugestões de recompensa no financiamento são: Escudo do Mestre, fichas de personagens prontas, atestado de insanidade do Asilo Arkham, pôster, dado personalizado, etc... Sucesso e não desistam jamais!!!

    ResponderExcluir
  5. Que ótimo, espero que saia logo as notícias sobre o financiamento coletivo.

    Entre as recompensas sugiro o escudo e quaisquer handouts do período citado (década de 1920).

    ResponderExcluir
  6. Sou outro que está ansioso por esse lançamento!! Quero aproveitar e elogiar este blog, já o indiquei a amigos!

    ResponderExcluir
  7. Sempre tive muita vontade de conhecer esse jogo,cheguei inclusive a pensar em importá-lo, mas agora essa notícia não poderia ter vindo em melhor hora! Super ansioso pelo financiamento...

    ResponderExcluir
  8. A melhor notícia "RPGística" do ano!

    ResponderExcluir