quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Galeria do Terror - As obras de Pickman

A seguir uma galeria de telas que poderiam muito bem ser obras primas assinadas por Richard Pickman.

"O Banquete dos Famintos" (1926)

Obra em óleo sobre canvas. Arrematada pelo Museu de Arte Moderna da Nova Inglaterra.
Foi a obra atacada por um ex-seminarista em 1977 e parcialmente destruída.
Posteriormente a tela desapareceu do Museu de Arte Moderna. Suspeita-se que ela tenha sido roubada e vendida a um colecionador.
A testemunha solitária, em segundo plano para alguns é o próprio Pickman observando das sombras.

"Estudo cadavérico à meia luz" (1923)

Óleo sobre canvas.
A obra foi comprada pelo escritor Jackson Elias, um famoso aventureiro norte-americano interessado no estudo de cultos e religiões. O quadro segundo rumores foi pintado por Pickman após uma incursão noturna no maior cemitério de Boston.
Após a morte de Elias, a tela foi doada ao Museu de Arte Moderna da Nova Inglaterra em Boston. Ele fez parte da coleção apresentada em 1969 por Noah Crysholm.


"Salomé" (1925)
Óleo sobre madeira.
Encomendada pelo poeta Edward Pickman Derby como presente a sua esposa Asenath Waite. A tela é provocativa e demonstra um estilo diferente com cores leves.
O rosto de Salomé é uma representação de Asenath Waite, enquanto a cabeça na bandeja acredita-se seja uma representação de Derby com uma longa barba simulando João Batista martirizado. Considerando que o casamento dos dois terminou de forma violenta é preciso se dar mérito ao caráter premonitório da obra.

"Os Vermes da Terra" (1924)

Óleo sobre canvas.
Uma das mais polêmicas obras de Pickman produzida durante a fase em que ele buscava se espelhar em Henry Fuseli.
O quadro ganhou notoriedade por ter sido comprado pelo controverso Anton LeVey, fundador da Igreja de Satã. Acredita-se que a obra era exposta em um lugar de honra em um dos templos de LeVey na Califórnia.

"O Sorriso do Predador" (1929?)
Óleo sobre canvas
O quadro embora assinado e reconhecido por experts como uma obra de Richard Pickman ainda é contestado uma vez que apareceu após seu misterioso desaparecimento em 1926.
Alguns conhecedores afirmam que a figura central na tela é o próprio Pickman em uma forma sardônica e que a janela retratada é parte de seu estúdio secreto no Centro de Boston.
Especialistas dizem que essa obra seria peça chave para se encontrar obras inéditas de Pickman, escondidas no loft secreto em que ele trabalhou por anos antes de desaparecer.
"O Regresso dos Magos" (1919)

Óleo sobre prancha de madeira.

Uma das primeiras obras de Pickman expostas na controversa mostra de arte moderna na Galeria Tuttle em Boston.
A tela faz parte da coleção dedicada a religiosidade chamada de "Sacrifício". Alguns afirmam que trata-se de uma visão do inferno, mas Pickman discordava dizendo que aquela era uma concepção terrena.

"Sobrevivente Solitário" (1918)

Óleo sobre tela.
Uma das poucas telas marinas de Pickman, um artista notoriamente urbano. A obra é uma alegoria ao notório naufrágio do Gustafson, um navio dinamarques cujos sobreviventes tiveram de apelas para o canibalismo para sobreviver a semanas em alto mar.

"O Modelo" (1926)

Óleo sobre canvas.
Uma das obras mais conhecidas de Pickman. Ela mostra uma paisagem retirada do Cemitério de Boston com uma figura grotesca em primeiro plano emergindo de uma tumba.
A obra foi adquirida em 1942 por um colecionador e desde então seu paradeiro é desconhecido, possivelmente ela se encontra em alguma coleção particular. Acredita-se que o assassino em série cpnhecido como "Açougueiro de North Compton" tenha feito menção a essa obra como razão para matar mais de oito pessoas no início dos anos 80.

5 comentários:

  1. Genial! Excelente! Durante a faculdade, em uma cadeira de roteiro cinematográfico, transformei o conto O Modelo de Pickman em um curta-metragem. Um dos desafios era como mostras as telas pintadas. Ótima solução.

    ResponderExcluir
  2. Muito bons os artigos. Demorei a comentar pois queria ler o Modelo de Pickman primeiro.

    Digo que, em diversas horas da leitura, imaginei o primeiro quadro do post como sendo o "Ghoul se alimentando".

    Uma observação: Só eu achei o personagem do quadro "Sorriso do predador" parecido com Anthony Hopkins?

    E deixo uma pergunta: Vocês pretendem falar sobre A música de Erich Zann? Se sim, aguardarei ansiosamente, pois, até agora, está sendo meu conto favorito.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. A Música de Erich Zann fará parte dessa mesma série de artigos sobre as Artes e os Mitos.

    Primeiro as pinturas de Pickman, depois a música de Zann e di Bordighera, esculturas e finalmente a poesia de Derby.

    ResponderExcluir
  4. Pickman é um personagem memoravel de Lovecfrat, ele aparece em 2 contos, coisa que praticamente nenhum outro personagem foi capaz. Não sou fã desse estilo de arte por assim dizer, mas mesmo assim ele devia ser um gênio nesse tipo de pinturara, eu mesmo viajava bastante quando imaginava cada quadro pintando por ele durante a narrativa.

    ResponderExcluir
  5. Hmm, é realmente um bom tópico, mas talvez algumas telas que você usou ficariam um pouco contraditórias com a descrição do Lovecraft. Ele diz mais de uma vez durante o conto Pickman's Model que a especialidade dele era pintar rostos e expressões, e a maioria das telas os rostos não aparecem em absoluto. "O banquete dos famintos", "estudo cadavério em meia-luz" (nenhum rosto aqui, mas ainda assim muito bem escolhido) e "O Sorriso do Predador" pra mim são as mais acertadas, as outras simplesmente não me convenceram como uma tela do Pickman.
    Mas como sempre, parabéns pelo tópico e pela iniciativa. Abraços!

    ResponderExcluir