quarta-feira, 3 de março de 2010

1833 - O Fim do Mundo em uma chuva de estrelas

Imagine acordar de madrugada com gritos desesperados e luzes estranhas iluminando seu quarto. Você abre a janela e vê um tumulto nas ruas, enquanto no céu, centenas de estrelas parecem despencar na direção da Terra como bolas de fogo.

Foi mais ou menos isso que os habitantes do Hemisfério Norte do continente americano experimentaram nas noites de 12 e 13 de Novembro de 1833.

O fenômeno astronômico conhecido como Chuva de Meteoros de Leonid ocorre a cada 33 anos, sempre que a Terra se aproxima do rastro deixado pelo Cometa Temple-Tuttle. A cauda do cometa é composta de partículas sólidas congeladas, conhecidas como meteróides, que são ejetadas a medida que ele sofre derretimento ao se aproximar do Sol. Essas particulas viajam a grande velocidade, quando entram na atmosfera terrestre sofrem atrito e são visualizadas como bolas de fogo no céu noturno. A chuva de meteoros pode progredir para as chamadas tempestades de meteoros, dependendo da intensidade registrada.
A tempestade de meteoros de 1833 foi a maior que se tem notícia. O fenômeno causou enorme comoção naqueles que o testemunharam, para alguns era a certeza de que o mundo estava prestes a acabar em uma chuva de fogo vindo do céu.
O fenômeno foi tão impressionante que alguns pesquisadores estimam que mais de 100 mil partículas entravam na atmosfera em apenas uma hora, iluminando a noite da Costa Leste dos Estados Unidos como um caleidoscópio multi-colorido.
O evento celestial já era conhecido dos astrônomos da época, contudo sua intensidade superou todas as espectativas. Thomas Milner, um cientista inglês que havia viajado para testemunhar o incidente registrou em seu diário as seguintes palavras: "As estrelas em queda ofereceram o mais esplêndido acontecimento de que se tem notícia". Seu colega, o Professor Denison Olmsted da Universidade de Yale também escreveu que aquele era "o mais magnífico e impressionante acontecimento presenciado no continente americano, desde a sua colonização" e que "era um privilégio poder admirar tão fascinante acontecimento".

Porém nem todos pareciam compartilhar da reação dos cientistas. Para a maioria da população, em especial aqueles que ignoravam a natureza do evento, aquilo era o começo do fim e elas reagiram de acordo.

Tumultos, depredações e loucura varreram a Costa Leste dos Estados Unidos.

O chefe de polícia de Nova York escreveu em seu relatório na noite de 12 de Novembro: "Na maioria dos distritos, a massa de pessoas em pânico ganhou as ruas em um frenesi motivado pelo desespero e pela imagem do apocalipse iminente. As estrelas caíam do céu como se fossem as folhas de uma figueira agitada violentamente. Os policiais tentaram debelar os tumultos, mas a agitação da turba não podia ser contida".

Testemunha do evento no estado de Kentuck, Mildred Garland escreveu em seu diário: "Todos sentiam que aquela era a noite do julgamento, e que o fim do mundo enfim havia chegado! Era possível ouvir homens, mulheres e crianças gritando e chorando desconsolados pelas ruas". Na cidade de Lexington, uma das maiores do estado, houve violentos tumultos e incêndios. As autoridades registraram também saques e pilhagem.

Em Harrisburg, no interior da Pensilvania, foram reportados crimes de natureza violenta: assassinatos e agressões cometidos por uma turba enlouquecida diante do inexplicável fenômeno. "As pessoas pareciam sob o efeito de uma loucura coletiva" descreveu um policial. A força pública teve de buscar o apoio do exército que obrigou as pessoas a voltar para suas casas sob ameaça de rifles e baionetas. Em alguns lugares, houve resistência e um quebra quebra generalizado.

Destruição de propriedade também ocorreu em Charleston, capital da Virginia, onde houve linchamentos e depredação de propriedade. Comunidades de irlandeses católicos serviram como bodes-expiatórios.
A prefeitura da cidade também foi apedrejada e sérias ofensas se seguiram em uma noite de selvageria e violência. Em Anniston no estado do Alabama, uma igreja pegou fogo (ou foi incendiada) quando uma turba furiosa tentou forçar entrada no templo que já se encontrava lotado.

Boston, uma das cidades mais esclarecidas na época, não registrou tumultos, contudo houve um acentuado aumento no número de suicídios, sobretudo na noite da tempestade de meteoros. No caso mais grave uma família inteira se trancou no porão de uma casa e compartilhou de veneno para escapar dos horrores do apocalipse.

Acontecimentos astronômicos sempre tiveram influência sobre as pessoas. A passagem de cometas ou os eclipses lunares são em quase todas as culturas vistos como sinais de maus agouros. Vale lembrar que o termo lunático se refere ao indivíduo que sofre de alguma perturbação mental motivada pelas fases da Lua.
Na mitologia de Lovecraft são as estrelas que marcam a conjunção astral perfeita que decretará po despertar dos Antigos e consequentemente a extinção da raça humana. Também os astros desempenham papel fundamental na realização de rituais e encantamentos regidos pelas estrelas e pelas fases lunares. Além disso, as estrelas são o referencial para a morada ou o ponto de origem de muitas entidades dos Mitos.

O fenômeno de 1833 estimulou também o lado espiritual das pessoas. Em Covington, no estado de Nova York, os sinos da Igreja local soaram às duas da manhã conclamando a população a se reunir para rezar e pedir a absolvição de seus pecados. Em Paulding, também no interior do estado, a população foi reunida às pressas na praça central da cidade para pedir que Deus poupasse a cidade de sua ira.

A tempestade de meteoros foi tão marcante que todo um ramo religioso surgiu a partir dela. Ao presenciar o fenômeno, muitos lembraram de um popular trecho do Evangelho de Mateus que diz: "as estrelas irão despencar do firmamento e antes do mundo terminar, Jesus irá retornar".

Quando a noite se tornou dia e as estrelas pareciam cair, as pessoas tiveram certeza que o momento previsto por Mateus havia chegado.

Felizmente, o mundo não acabou, mas alguns passaram a acreditar que aquele teria sido um aviso de Deus para que as pessoas estivessem preparadas para a segunda vinda de Jesus. Essa crença motivou a fundação da Igreja Adventista do Sétimo Dia - que nos dias atuais conta com mais de 17 milhões de seguidores ao redor do mundo.

Além dos Adventistas muitas outras crenças de cunho apocalíptco se estabeleceram a partir desse ensaio do Fim dos Tempos, algumas delas empreenderam jornadas para o Oeste em busca de lugares isolados onde pudessem se preparar para o dia do julgamento.

Apenas quando o dia começou a clarear os tumultos da noite de terror diminuíram. Durante o dia, a claridade dos meteoritos adentrando a atmosfera era bem menos perceptível de modo que a chuva paredia ter chegado ao fim.

O governo do presidente Andrew Jackson reagiu prontamente diante da histeria coletiva. O Exército recebeu ordens de patrulhar as ruas e um toque de recolher foi instituído. Durante todo o dia circularam folhetos que explicavam o que havia acontecido e os jornais se empenharam em asegurar às pessoas que o acontecimento embora estranho nada tinha de perigoso.

As medidas surtiram efeito e a noite de 13 de Novembro, mesmo tendo apresentado um fantástico espetáculo celestial, não registrou a mesma loucura.

Se por um lado o acontecimento ocasionou tragédias, por outro fomentou a criação de um gabinete adjunto ao governo, cuja função era antecipar eventos científicos dessa natureza.

5 comentários:

  1. Parabéns, sempre trazendo posts interessantes e de qualidade.
    A religião consegue transformar coisas belíssimas em terror, não é mesmo?
    Continue assim com o blog, até mais!

    ResponderExcluir
  2. Bianka-Esses fatos estão no livro de apocalipse,e podem ser explicados,mais isso não significa que não sejam profecias.Deus criou esses sinais para nos mostrar que a vinda de Jesus está próxima,para nos prepararmos para vinda de Jesus.

    ResponderExcluir
  3. Deus usa a natureza para mostrar as coisas que irão acontecer e pela sua falta de conhecimento religioso, te informo que a Igreja Adventista do Sétimo Dia não surgiu por causa da queda das estrelas, procure estudar a história da igreja e perceba que você querendo ou não, acreditando ou não, este mundo terá fim. De que lado você estará? Você decide amigo!

    ResponderExcluir
  4. Este acontecimento faz parte de uma profecia bíblica que tem se cumprido detalhadamente nos últimos séculos.Se querem saber mais sobre este e outros eventos desta profecia acessem o site: http://setimodia.wordpress.com/2008/12/03/os-sete-selos-do-apocalipse/

    ResponderExcluir
  5. não só foi porque caiu estrelas do céu que foi fundada a igreja Adventista do Sétimo Dia foi um agricultor, converteu-se à Igreja Batista e começou a estudar intensamente a Bíblia. Utilizando uma Bíblia e um material de estudo de textos bíblicos conhecido como Concordância de Cruden, conclui que o Santuário descrito na profecia de Daniel 8:14 referia-se à Terra e a purificação do mesmo ao retorno de Jesus. Fazendo uso de um método de interpretação de profecias bíblicas conhecido como princípio dia-ano (Números 14:34; Ezequiel 4:6), concluiu que as "2300 tardes e manhãs" referidas, iniciavam-se em 457 a.C e se cumpriam entre março de 1843 e março de 1844 mas nesse período não ocorreu a Chuva de Meteoros de Leonid. Como o fato não ocorreu (a volta de Jesus), o retorno aos estudos sobre o assunto gerou uma compreensão mais acurada. Samuel S. Snow, ministro protestante milerita, concluiu que a purificação do santuário descrita na profecia ocorreria de acordo com o calendário judaico dos caraítas em 22 de outubro de 1844.

    ResponderExcluir