segunda-feira, 27 de março de 2017

Desaparecido na mais misteriosa das Cavernas



No mundo dos desaparecimentos misteriosos existem aqueles que são especialmente incomuns, que possuem uma aura de estranheza que nos deixa atordoados e sem ação, e que por alguma razão parecem cercados por uma aura sobrenatural. Uma pessoa que simplesmente desaparece no ar já é perturbador o bastante, mas quando o caso vem acompanhado de fenômenos inexplicáveis e transcorre em lugares incomuns, ele adquire um tom ainda mais bizarro que o impele no reino das ocorrência inexplicáveis.

Este é o caso do desaparecimento de Kenny Veach, que entrou em um deserto em busca de uma misteriosa caverna e jamais retornou, deixando especulações sobre seu destino em aberto. O que aconteceu com ele? Leia adiante, e decida por si mesmo.  

Em 2014, um ávido e experiente explorador chamado Kenny Veach, deu início a uma série de videos populares no You-Tube em que ele relatava a descoberta de uma misteriosa caverna até então desconhecida. O lugar ficava nas Sheep Mountains, no estado de Nevada, ao Norte de Las Vegas e próximo da Base Aérea de Nellis. Em seus comentários, Veach de 47 anos, relatava a forma inusitada como havia encontrado a caverna. Ele afirmou que tudo foi obra do acaso. Enquanto explorava a área à noite, sentiu uma repentina vibração que parecia emanar do solo e atravessava seu corpo. Era como uma onda de choque que ele podia sentir em pulsos regulares. Andando pelo local, ele continuou sentindo essa estranha sensação, que parecia conduzi-lo aumentando gradualmente, a medida que ele se aproximava da entrada oculta da caverna. Chegou a um ponto que as vibrações engolfaram seu corpo de tal maneira que ele quase não conseguia se mover tremendo de cima a baixo. Ainda segundo sua narrativa, ele sentiu "um desejo quase incontrolável de entrar na caverna", assim que encontrou a abertura. Sem equipamento e sem planejamento prévio, algo que nas suas palavras "seria loucura"!

Reunindo toda a sua força de vontade, ele conseguiu recuar, diminuindo o impeto de avançar através daquela fenda e explorar seu interior, sem a ajuda de nada a não ser a curiosidade. 


O comentário gerou um grande interesse a respeito da misteriosa caverna e de seu "poder de atração". Também gerou muito debate com céticos questionando a respeito dessa vibração e de que maneira ela se manifestava. Muitos comentários pediam para que Kenny se preparasse adequadamente e assim que possível explorasse o interior da caverna. Desse modo, a história teria uma continuação, ou quem sabe uma explicação razoável fosse encontrada. 

Um mês depois, o explorador retornou ao deserto de Nevada com o devido equipamento e uma câmera para registrar os acontecimentos. Contudo, dessa vez, ele não foi capaz de localizar a entrada da caverna. Ele publicou o video dessa expedição, que gerou muito interesse e um certo grau de frustração. Ninguém, no entanto, ficou mais decepcionado que o próprio Kenny que parecia realmente chateado por não ter encontrado o local exato. Localizar aquela caverna parecia ser algo muito importante para ele, quase uma obsessão. Kenny escreveu a respeito da experiência:

"A região desértica em que eu encontrei a caverna é vasta. Existem muitas formações rochosas e cavernas lá. Eu estive em centenas delas, mas aquela... aquela caverna em especial tem algo diferente! Nunca senti algo parecido na minha vida! É como se o lugar estivesse chamando, compelindo, implorando para que eu entrasse! Pode demorar, mas eu vou encontrá-la, custe o que custar, vou encontrá-la".

Durante a segunda expedição, Kenny não encontrou sinal da caverna mas isso não quer dizer que não ocorreram incidentes estranhos. Enquanto procurava o local, Veach se deparou com um enorme carneiro montanhês preto que ficou no alto de um platô o observando por vários minutos. De repente, o animal sumiu, como se tivesse evaporado. Mas nada disso deteve o determinado explorador, que os amigos e companheiros definiam como um sujeito intrépido, viciado em aventura e excitação, um sujeito que amava explorar cavernas e registrar suas façanhas no campo da espeleologia. Veach era descrito como um homem sem medo, que desafiava cascavéis agarrando os animais pelo rabo para tirar fotografias. Também não tinha medo de altura, pendurava-se na beirada de abismos ou de ponta cabeça em cordas no alto de precipícios. Os amigos mais próximos acreditavam que Veach estava tão determinado a encontrar a caverna porque havia sentido algo diferente ao se deparar com ela: medo!


Ele queria encontrar o lugar para desafiar o medo irracional que havia sentido. A despeito do fluxo de preocupação e advertências de que talvez fosse melhor deixar as coisas como estavam, Veach declarou que logo organizaria uma terceira expedição na área, recusando-se a desistir de encontrar a caverna misteriosa. Ele escreveu em seu blog:

"Eu sinto que é algo que preciso fazer! Se eu abandonar essa busca, sinto que ficarei incompleto. Não há trilhas, a região é perigosa com fissuras que surgem de repente, com serpentes venenosas e calor intenso durante o dia e frio congelante à noite. Ainda assim, eu preciso fazer isso... não sei como explicar".

Para os amigos próximos Kenny revelou um curioso detalhe a respeito da segunda expedição. Ele havia sentido uma atmosfera de ameaça e perigo pairando no ar. Algo que não foi capaz de descrever em palavras. Para a terceira expedição, ele levaria uma arma de fogo. Os colegas sabiam que Kenny tinha uma pistola 9mm que nunca sentiu necessidade de levar em suas explorações. Mas por algum motivo, ele afirmou que ficaria mais tranquilo com a arma ao seu lado.      


Algumas pessoas começaram a desaconselhar que Kenny prosseguisse em sua busca. Um medium da California enviou uma estranha mensagem alertando o explorador que ele estava sendo atraído por algo maligno e que nada bom poderia sobrevir da busca por essa caverna. Outra mensagem atestava que a caverna era um lugar maldito, temido por nativos americanos por ocultar uma presença faminta, algo com que as pessoas não deveriam se envolver. Nada disso deteve o intrépido explorador, que não se daria por satisfeito até encontrar o lugar.

Em 10 de novembro de 2014, Kenny Veach rumou para o deserto para uma terceira jornada solitária em busca da misteriosa caverna no que ele planejava ser uma exploração de dois dias. Ele jamais retornou...

Depois que a data de regresso passou, os parentes e amigos de Veach começaram a ficar preocupados e as autoridades se organizaram para fazer uma busca pela área. Autoridades e voluntários se apresentaram para auxiliar nas buscas. Durante os esforços o único sinal da passagem de Veach foi a descoberta de seu telefone celular, encontrado perto de uma fissura profunda. Curiosamente, não havia nenhum rastro ou trilha no entorno que tivesse sido deixado pelo explorador. O temor inicial era que ele tivesse caído nessa fissura enquanto explorava a área na escuridão. Equipes de resgate desceram na fissura com quase 10 metros de profundidade mas não encontraram sinal de que ele havia caído.     

As buscas se espalharam por um raio de 40 quilômetros. Mais de uma centena de pessoas tomaram parte nas buscas ao longo de uma semana inteira. Dois helicópteros sobrevoaram a região que foi exaustivamente investigada. No fim das contas, nada foi encontrado. Nenhum indício, nenhuma pista, nenhuma farpa. Era como se ele tivesse sido engolido.

É claro, com esse desaparecimento, fomentado pelos vídeos em que Veach declarava haver algo estranho na caverna, as coisas ganharam muita repercussão. Muitas pessoas começaram a especular que o explorador havia realmente encontrado a caverna e que tinha desaparecido em seu interior. Kenny era famoso por procurar trilhas especialmente difíceis, por explorar regiões inóspitas e desafiar a sorte carregando apenas o equipamento básico. Seu objetivo era aumentar o desafio, testar seus limites, quanto mais difícil, melhor. Em um de seus comentários, registrados no You-Tube, ele atesta sua postura desafiante:


"Minhas caminhadas são realmente brutais. Eu não aconselho a quem não tem a mesma experiência tentar fazê-lo. Meus dedos ficam escuros, a sola dos pés cobertas de bolhas e o inchaço é quase insuportável. Eu demoro dois, três dias para me recuperar. Por vezes, perco muito peso e tenho que lidar com a desidratação. Mas essa é a graça dessas explorações, testar limites e ir mais longe"! 

Colegas exploradores concordavam que Kenny era um excelente explorador, mas que suas caminhadas eram realmente pesadas. Perigosas demais na opinião de alguns. É possível que ele finalmente tenha ido longe demais e que sua sorte simplesmente chegou ao fim. 

Outra possibilidade é que Kenny tenha entrado no deserto com um propósito: desaparecer em terreno selvagem e não voltar. De acordo com a namorada de Veach, Sheryon Pilgrim, ele tinha um longo histórico de depressão. Ela contou que Kenny sofria de depressão há anos e que se recusava a tomar os remédios prescritos por seu médico. De fato, Kenny havia desistido de ir ao consultório depois que um psicólogo o aconselhou a não realizar mais suas explorações por conta própria. O fato dele ter levado consigo uma arma de fogo também aumentou essa suspeita, mas se ele planejava se matar, onde teria ficado o corpo?

Também existe a teoria de que Veach poderia ter sido vítima de um crime. Por muito tempo falou-se a respeito de laboratórios clandestinos de Meta-anfetamina e plantações de maconha instaladas em áreas remotas do deserto. Negociações entre traficantes também ocorriam nesses lugares inóspitos e acertos de contas em que vítimas desapareciam em valas sem que ninguém soubesse. Veach pode ter sido capturado e assassinado, seu corpo ocultado em um dos milhares de esconderijos do deserto.    

E é claro, não faltam teorias bizarras.

A região onde supostamente a caverna estaria localizada ficava nas imediações da Base Aérea de Nellis, que segundo teóricos de conspirações possui um vasto sistema de túneis e subterrâneos em que militares realizam testes de armas e experimentos ultra-secretos. Algumas pessoas supõem que essa área remota é utilizada para testes de aviões experimentais e bombardeios utilizando cargas contendo radiação e explosivos experimentais. Em 2005, um grupo de exploradores amadores foi preso na região por militares e mantido sob custódia por três dias. Quando enfim foram liberados revelaram ter sido coagidos a preencher formulários em que se comprometiam a manter segredo sobre o que teriam visto, supostamente algum teste secreto.


Também existe o fato de que Vech era fascinado pelo ocultismo e pelo mundo sobrenatural. Segundo amigos, ele tinha um profundo interesse nas lendas de nativos americanos a respeito de cavernas que conectavam o nosso mundo a reinos sobrenaturais, cidades perdidas e civilizações muito avançadas que preferiam se manter ocultas, sem contato com a superfície. Ele chegou a escrever uma monografia em que defendia a existência de povos desconhecidos que deixaram sinais de sua existência nas paredes de cavernas. Alguns sugerem que a caverna misteriosa que exerceu tamanho poder de atração sobre o explorador poderia ser o ponto de entrada para uma dessas civilizações perdidas. Alguns afirmam que muitos exploradores se perderam em tais cavernas. Para outros, elas seriam portais para outras dimensões.     

Alguns teóricos sugerem que a existência de portais dimensionais estariam relacionados diretamente com a acústica no interior de cavernas. Dependendo da profundidade e do seu tamanho, certas cavernas poderiam produzir ruídos harmônicos, ressonâncias e frequências de eco que combinadas causariam efeitos inesperados nos sentidos humanos. Uma frequência de 110 Hertz parece causar um efeito em nossa percepção. Pesquisadores acreditam que várias culturas ao redor do mundo realizavam rituais religiosos no interior de cavernas com o objetivo de aproveitar a acústica e assim causar alucinações ou reações sensoriais. Atingindo determinada frequência sonora, os envolvidos conseguiam causar efeitos sensoriais tratados como uma experiência espiritual. É sabido que certas catedrais medievais foram projetadas para que a música pudesse ressonar em seu interior de determinada forma se beneficiando da acústica. Essa seria uma explicação razoável para visões sagradas, no caso, alucinações causadas por essa alteração sensorial. 

Veach relatou estranhas vibrações na noite em que encontrou a caverna, como se estas tivessem lhe atraído até o local. É possível que essa vibração tenha se manifestado novamente? Seria possível que alguma estranha vibração pudesse ter causado a obsessão de Veach? Ou talvez, tenham agravado seu quadro de depressão... 


E quanto a misteriosa caverna citada pelo explorador? O lugar jamais foi encontrado a despeito dos esforços de dezenas de exploradores que tentaram localizá-la desde então. A região inteira foi esquadrinhada cuidadosamente, mas nada parecido com o que o explorador descreveu foi encontrado. Seria possível que ela nunca tenha existido? Será que o explorador inventou a história como um golpe de publicidade? Ou teria ele imaginado a sua existência?

No fim das contas ninguém sabe o que aconteceu com Kenny Veach, ele simplesmente desapareceu sem deixar vestígios. Alguns supõem que ele de fato encontrou a caverna e que desapareceu em seu interior, talvez por acidente, quem sabe voluntariamente.  Seu desaparecimento continua tão enigmático quanto no dia em que ele sumiu da face da Terra, atraindo a atenção de pessoas interessadas em mistérios dessa natureza. É uma história de aventura, exploração, envolvendo lugares místicos e questionamentos que aparentemente estão fadados a nunca encontrar respostas. Se a Caverna é real, ela continua escondida no coração de um deserto inclemente, aguardando para ser descoberta ou quem sabe, pela sua próxima vítima.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário