segunda-feira, 14 de março de 2011

Nascimentos Blasfemos - As Crianças dos Antigos

Na mitologia universal, deuses e seres superiores tinham o costume de descer à Terra para seduzir e encantar mortais. Dessa união nasciam semi-deuses (demigods), aqueles que eram gerados por um deus e por um mortal, sendo portanto humanos híbridos com essência divina.

A lista de semi-deuses é longa e remonta aos gregos antigos sendo os mais conhecidos Hércules (filho de Zeus e da mortal Alcimene), Aquiles (filho da ninfa Thetis e do soldado mirmidão Pelus) e Teseu (filho de Poseidon). Mas a noção de mortais inseminadas por divindades vai além da Grécia: os egípcios acreditavam que os faraós eram crianças de Hórus, os imperadores da China antiga e do Japão eram tidos como semi-deuses e o Imperador romano Comodus se dizia a reencarnação de Héracles.

A noção de que deuses e seres sobrenaturais seriam capazes de gerar crianças com humanos é muito antiga e está fundamentada em praticamente todas as culturas da antiguidade. Não é de todo estranho, portanto, que H.P. Lovecraft quando definiu os parâmetros de sua mitologia tenebrosa tenha contemplado a possibilidade de que deuses do Mythos se reproduzissem com seres humanos.

Horrível como possa parecer, alguns Grandes Antigos e mesmo certos Deuses Exteriores são plenamente capazes de inseminar fêmeas humanas, resultando em mestiços blasfemos. Como isso é possível não se pode inferir, mas a compatibilidade genética entre seres do Mythos e humanos existe e gera abominações que o Necronomicon chama de "Os Favorecidos pelos Antigos" (Fosterlings of the Old Ones).

Estes seres são mutações, resultado da inseminação de fêmeas humanas pelo toque pernicioso dos Antigos. Inúmeros cultos devotados aos seres do Mythos, buscam esse tipo de interação acreditando que as crias nascidas desta união profana os colocam mais próximos de seus ideais e das entidades por eles reverenciadas. Não raramente cultos acreditam que essas crianças geradas com os deuses são capazes de operar mudanças ou estão fadadas a cumprir determinadas profecias.

Através de rituais especiais (que incluem visões premonitórias, mapas astrais e mesmo magias), os cultistas determinam as fêmeas aptas a receber a semente de deuses. Por vezes uma mulher que participa ativamente do Culto é a escolhida ou se voluntaria para a medonha tarefa. Estas são preparadas desde cedo para a função de parir a criança dos deuses. Em outros casos, muito mais assustadores, cultistas sequestram mulheres inocentes para receber essa "honra". Existem também cultos que dominam técnicas arcanas capazes de alterar a genética do feto ainda no ventre materno, infundindo a mácula dos antigos nele.

Uma vez nascida, a criança se assemelha a um humano normal ainda que pequenas e estranhas peculiaridades sejam perceptíveis. Algumas crianças possuem uma palidez fora do comum ou olhos penetrantes e brilhantes. Outras características como polidactilia (seis dedos nas mãos), gigantismo ou crescimento acelerado também podem ocorrer. Em certos casos é algo muito mais subjetivo, um odor característico, uma sensação de estranheza quando se está próximo ou o fato de animais se mostrarem inquietos diante dela.

Não é raro também essas crianças demonstrarem falta de empatia humana, um comportamento distante e impessoal, por vezes encarado como uma modalidade de autismo e até mesmo comportamento anti-social.

A concepção equivocada é que esses seres são apenas crianças. Na realidade eles sequer são humanos.

Pode levar vários anos para que a criança comece a apresentar alterações que a transformarão em algo que se parece mais com seu pai. Aqueles que possuem a mácula começam a experimentar sonhos e pesadelos recorrentes em que começam a ser preparados para a transformação. Através destes sonhos eles tomam conhecimento daquilo que são e começam a mudar. Em certos casos é preciso que cultistas as submetam a rituais para que o processo de transformação tenha início.

A mudança tende a começar na adolescência, e quando se inicia é algo súbito e irrefreável. Mudanças corporais se acentuam e a mutação vai se tornando cada vez mais acelerada até que o Favorecido pelos Antigos se transforme em algo que lembra bem pouco um ser humano.

Os cultos tendem a resgatar essas aberrações, elas passam a habitar sedes dos cultos, templos secretos e outros locais onde os adoradores se reúnem. Temidos e adorados, eles são o testemunho vivo do poder dos Antigos.

Em raros casos, crianças geradas por divindades podem se convertem em "Mensageiros dos Antigos". Estes são filhos dos antigos que não sofrem mudanças físicas marcantes, permanecendo com a aparência de seres humanos durante toda sua existência terrena. Contudo, eles não são humanos no sentido da palavra. Um exame médico criterioso é capaz de apontar diferenças essenciais em sua fisiologia. Eles também possuem pequenas e quase imperceptíveis imperfeições como marcas distintas, olhos de cores diferentes ou orelhas parcialmente pontudas.

Os Mensageiros são considerados como profetas dos Mythos, indivíduos com grande carisma que se tornarão líderes dos cultos e que estão fadados a pavimentar o caminho para o retorno dos Deuses Antigos.

A Irmandade da Besta, um perigoso culto com ramificações globais, conseguiu gerar um desses profetas usando mapas astrais e feitiçaria. Eles pretendiam utilizá-lo em seus planos de conquista mundial, felizmente eles foram detidos por corajosos investigadores em 1928.

Alguns estudiosos do Mythos relacionam a figura dos Anti-Cristo, previstos nas Centúrias de Nostradamus, como Mensageiros dos Antigos que através de sua influência lançariam o mundo em uma espiral de morte e destruição.

Também já se propôs que genocidas como Hitler, Stalin e Pol Pot poderiam ser Mensageiros dos Antigos, a mesma presunção foi feita com assassinos em série como Charles Manson, Gilles de Rais e Andrei Chikatilo mas essas especulações jamais foram verificadas e provavelmente não passam de rumores e conjecturas. Por vezes a loucura, crueldade e megalomania humana podem se confundir com a maldade do Mythos.

Dentre as entidades que se relacionam com humanos dando origem a nascimentos blasfemos estão Yog-Sothoth e Shub-Niggurath. Em menor grau Bug-Shash, Nyoghta, Hastur, Chaugnar Faugn e mesmo Atlach Nacha geraram crianças meio-humanas.

O exemplo mais notório de Nascimento Blasfemo diz respeito a Yog-Sothoth que foi invocado pelo feiticeiro de Dunwich, Noah Whatleley com o propósito de engravidar sua filha Lavínia. O resultado foram os gêmeos Wilbur Whateley e seu monstruoso irmão gêmeo. Em 1928, professores da Universidade Miskatonic conseguiram deter esse horror usando encantamentos retirados do Necronomicon.

Shub-Niggurath também já foi invocada para abençoar mulheres com sua semente profana. As lendas a respeito de sátiros e faunos estão relacionadas a supostas crias da deusa da fertilidade geradas a partir da entrega voluntária de sacerdotizas do Bode Negro. Seus filhos são conhecidos por ter feições caprinas, pés com cascos fendidos e pequenos chifres no alto da cabeça.

O Nameless Cults escrito pelo Barão Von Junz, detalha uma profecia em que uma aberração chamada de "A Mãe de Pus" nascerá da união incestuosa do filho e filha de Shub-Niggurath. A chegada da Mãe de Pus é considerado por estudiosos do Mythos como um dos sinais de que as Estrelas estão se aproximando de seu alinhamento fatal.

2 comentários:

  1. Muito bom esse Post!
    Estou começando a querer narrar Cthulhu e este blog está ajudando muito, parabéns a equipe daqui!

    ResponderExcluir
  2. Artigo muito bom mesmo! Amplia as possibilidades das tramas!

    ResponderExcluir