sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Meta Extra #6 - Guia de Campo de S. Petersen para os Horrores Lovecraftianos


Os horrores do Mythos já receberam várias designações ao longo de sua existência.

Eles foram chamados de estranhos, bizarros, inumanos, indescritíveis, inomináveis...

Não é, portanto, tarefa fácil transformar em imagens as descrições desses horrores blasfemos cujo mero vislumbre é suficiente para causar loucura e insanidade. Neste suplemento de 128 páginas, totalmente colorido e ricamente ilustrado, o leitor encontra alguns dos mais famosos e abomináveis monstros que compõem a mitologia de H.P. Lovecraft - o Mythos de Cthulhu.

Para aqueles que não sabem, o livro é uma nova versão do Guia de S. Petersen para os Monstros de Cthulhu e Criaturas das Dreamlands, que foram publicados respectivamente em 1988 e 1989. S. Petersen se refere a ninguém menos do que Sandy Petersen, o criador do RPG Chamado de Cthulhu e um dos maiores entusiastas e conhecedores dos Mútuos lovecraftianos. O título é também uma brincadeira com o famoso Guia Peterson, um fascículo bastante tradicional nos Estados Unidos que serve de Guia de referência para os leigos que planejam identificar diferentes espécies de pássaros, plantas, insetos e fenômenos naturais. A ideia do Guia de Horrores Lovecraftianos é ter a mesma serventia: através dele, os principais monstros podem ser devidamente identificados e reconhecidos por observadores casuais.

Os livros originais do Guia de Campo
Os livros originais eram bastante difíceis de serem encontrados, sobretudo porque a tiragem original deles foi menor do que o normal. Cada um trazia uma coleção de criaturas e um texto a respeito delas que apresentava as suas principais características e a maneira mais correta de cada um deles ser identificado com exatidão. A arte era o ponto alto dos dois volumes, sendo que muitas criaturas foram ilustradas ali pela primeira vez. O visual adotado pelos artistas aos poucos se tornou referência para a maioria dos ilustradores que vieram posteriormente.

Para o novo Guia, lançado durante o Financiamento Coletivo norte-americano, a Chaosium decidiu juntar o Guia de Horrores e o Guia das Dreamlands (a mítica Terra dos Sonhos) em um único livro que reúne nada menos do que 53 criaturas. A decisão foi sábia, uma vez que o narrador tem em suas mãos um volume único que reúne as criaturas mais fascinantes e bizarras concebidas por Lovecraft e seu círculo de seguidores.

A primeira parte do livro se refere aos Horrores que habitam a nossa realidade, Deuses e Entidades, Criaturas e seres alienígenas. Estão lá raças independentes como Abissais e Carniçais, alienígenas como os Vampiros das Estrelas e Horrores Caçadores, Deuses como Nyarlathotep e Shub-Niggurath, entre outros. A segunda parte lida com criaturas que habitam a estranha dimensão onírica, uma parte essencial da literatura de Lovecraft, conhecida genericamente como a Terra dos Sonhos (Dreamlands). Neste capítulo encontramos as cruéis Bestas Lunares, os sinistros Homens de Leng, as tenebrosas Aranhas de Leng, além dos gigantescos Gug e colossais Bestas da Nuvem.




O formato é sempre o mesmo, um texto introduz uma breve descrição do monstro, seu habitat mais provável, como tais seres se distribuem no ambiente em que vivem, seus hábitos de vida e como tais seres podem ser reconhecidos. No topo de cada entrada, temos uma descrição pinçada da história original em que cada criatura aparece originalmente. Entretanto, o que realmente chama a atenção são as fantásticas ilustrações coloridas das criaturas que algumas vezes se distribuem ao longo das duas páginas. 

Os detalhes das criaturas são notáveis, os desenhos são absurdamente realistas concedendo a muitas das criaturas uma nova e impressionante interpretação. Alguns dos monstros foram completamente reconstruídos e repensados, seus conceitos alterados de tal forma que muitos mestres e jogadores terão dificuldade em reconhecê-los de primeira. É o caso do Dimensional Shambler e do Horror Caçador que receberam uma nova interpretação que os tornou imensamente mais ameaçadores e alienígenas. O Byakhee, os abissais e o Povo Serpente também receberam uma nova roupagem que os torna mais alienígenas do que as versões consagradas nas edições anteriores. A aparência da maioria das criaturas me agradou, mas francamente cada pessoa terá sua própria opinião a respeito dos monstros e entidades. Uma das coisas que chama a atenção é a maneira como os artistas envolvidos no livro tentaram transformar cada monstro em um pesadelo, extirpando deles qualquer sinal de normalidade ou relação com o mundo natural terrestre. O resultado é surpreendente e de certa maneira desconcertante, espere portanto ficar olhando por longos instantes para cada criatura, tentando entender o que elas são e com o que parecem... Mesmo a Cria Estelar de Cthulhu, que deveria ser um monstro cefalópode tem poucas características de polvo, lembrando muito mais um horror insectóide com traços de crustáceo.




As criaturas foram concebidas com uma paleta de cores escuras privilegiando o preto, o marrom e o cinza e muitas das imagens receberam um tratamento esfumaçado. Os monstros são soturnos, ameaçadores e francamente medonhos, coisas que você realmente não gostaria de encontrar no porão de uma casa abandonada ou em ruínas perdidas. É fácil entender por que a simples visão desses seres é o bastante para causar asco, medo e loucura. Já as criaturas da Terra dos Sonhos são comparativamente mais coloridas e vibrantes, parecendo ter saído dos devaneios de um artista demente. Algumas pessoas reclamaram que alguns deles seriam mais adequados a livros de monstros de fantasia medieval, mas é preciso lembrar que as Dreamlands se assemelham muito aos clássicos mundos de fantasia com que estamos tão habituados.

De grande interesse é também um gráfico comparativo no qual podemos intuir o tamanho de cada criatura diante de um ser humano. Nas margens do livro temos desenhos em preto e branco ou cor de bronze com detalhes anatômicos de cada ser. No final do livro um estudo morfológico com o tamanho comparativo de todos os seres reunidos ao longo de suas páginas.

Temos também uma longa lista com a bibliografia e livros recomendados, sendo que apenas os da primeira página de fato existem. Os demais títulos - muitos deles absurdos, pertencem a obras fictícias que teriam sido usadas como referência para escrever o Guia de Campo. 



É importante, no entanto, salientar que o Guia de Campo de Horrores Lovecraftianos não é um suplemento de jogo. A comparação com o Monster Manual é inevitável, mas ao contrário de seu correlato para Dungeons and Dragons, o Guia de Horrores Lovecraftianos não possui nenhum atributo ou estatística utilizável em jogo. Não é um livro de regras que fornece mecânica aplicável ao sistema, sendo muito mais um fluffy que acrescenta bastante a ambientação. Ele é ainda um livro de referência para entusiastas da obra de H.P. Lovecraft que sem dúvida irão delirar com as imagens aqui reunidas, contudo não espere usar esse livro em sua mesa - exceto como um guia visual para mostrar aos seus jogadores aquilo que eles encontraram em suas investigações no desconhecido. Uma dica: mantenha esse livro longe dos olhos de seus jogadores, assim você irá preservar o choque e a novidade quando eles se depararem com as criaturas pela primeira vez.

Nem todos os monstros de Chamado de Cthulhu estão presentes no livro, para ter uma ideia, pesos pesados como Glaaki, Hastur e Chaugnar Faugn não estão entre as criaturas apresentadas. A escolha parece ter sido um tanto aleatória e algumas entidades importantes poderiam ter sido incluídas, mas isso não chega a ser um grande problema. A maior ausência do livro, sem dúvida, é o Grande Cthulhu que bem que poderia estar entre as criaturas relacionadas.


A Chaosium atingiu um nível impressionante de valor de produção com esse livro. O Guia parece um Art-book e poderia ser facilmente deixado na mesa de centro de sua sala. O trabalho foi tão elogiado que recebeu dois prêmios no Ennies Awards 2017, o Oscar do RPG internacional: Melhor livro de Monstros/Adversários (Ouro) e Melhor Arte Interna (Prata).

O Guia de Campo de S. Petersen para Horrores Lovecraftianos é um livro incrivelmente interessante e luxuoso. Mestres de Chamado de Cthulhu e entusiastas da obra imortal de H.P. Lovecraft, sem dúvida o terão em alta conta e reservarão um espaço de destaque para ele na estante. 


E aconteceu de novo. O Guia de S. Petersen para os Horrores Lovecraftianos já alcançou a Meta estipulada de R$ 65,000. Então ele já está garantido! Huzzah!!!!

Próxima parada?

Meta #7 - Escudo do Mestre + Livreto com Duas Aventuras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário