sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Algo cthulhiano no Alasca - Estranha substância alaranjada intriga cientistas e preocupa vilarejo


ANCHORAGE, Alaska (AP) — O marido de Leona Baldwin foi o primeiro a ver, e ela se apressou em alertar através do rádio aos outros habitantes da remota vila de Kivalina no Alasca, que uma estranha substância alaranjada havia tomado o cais da cidade.

A notícia atraiu os moradores, ansiosos para ver em primeira mão o fenômeno que cobria parte da água e que começou a se espalhar para as margens do lago.

No dia seguinte, a substância começou a se dissipar graças a uma chuva forte, e o que restou no solo secou em poucas horas tornando-se uma poeira fina.

Amostras da matéria laranja foram coletadas em potes e enviadas para um laboratório em Anchorage para análise. Até os resultados serem conhecidos, os 374 moradores de Kivalina continuam a imaginar o que teria acontecido em seu vilarejo.

"Certamente, até aqui é um mistério," disse Emanuel Hignutt, um químico a serviço do Departamento de Meio Ambiente e Preservação em Anchorage.

Kivalina, é um vilarejo Inuit Esquimo, localizado na costa nordeste do Alasca. O povoado fica às margens de um Lago onde desemboca o Rio Kevalina que dá nome ao local. Os habitantes dizem jamais ter visto algo semelhante, e os mais velhos afirmam que nunca ouviram qualquer estória sobre uma substância de cor alaranjada como ferrugem boiando no lago ou descendo o rio. "É a primeira vez que vejo isso aqui em Kivalina," disse Austin Swan, de 63 anos, membro do conselho da cidade.

Parte das amostras também foram enviados para a Universidade do Alasca, Fairbanks e para o laboratório do National Oceanic and Atmospheric Administration Institute na Carolina do Norte para testes.

"Há diversos experts que podem identificar esse composto se ele for de natureza orgânica, por exemplo, qual a espécie, ou talvez se ele não for orgânico, definir qual a sua origem," comentou Hignutt.

A Guarda Costeira acredita que a substância, que foi descrita como tendo uma consistência semi-sólida, é algum tipo de dejeto ou produto derivado de petróleo. Também é possível que seja algum tipo de alga até então desconhecida.

A preocupação é que se trate de algo perigoso ou tóxico. O que pode acontecer com os peixes causa apreensão aos habitantes, que costumam tirar do lago seu sustento. "Nós precisamos confirmar que essa substância não é perigosa, nossa sobrevivência depende disso," disse um morador.

Quando o material se espalhava pelo lago, ele criou uma área de 3 metros de largura por cerca de 30 metros de comprimento que boiava ao sabor do vento e que segundo alguns chegava a brilhar com um tipo de fosforescência à noite, "como luz neon".

Como a substância permanece desconhecida, autoridades da cidade aconselharam aos habitantes que mantenham crianças e animais longe da matéria alaranjada e que evitem o consumo de água ou de peixes da Lagoa nos próximos dias.

Kivalina não parece estar sozinha, outras comunidades ao longo do Rio Kevalina também avistaram a substância alaranjada.

Shannon Melton informou que estava descendo o rio Buckland a cerca de 150 milhas a sudoeste de Kevalina, e que a cor da água não estava normal. "Era uma cor encardida como ferrugem." contou. Em outras áreas é possível perceber restos da mesma matéria alaranjada depositado nas margens dos Rios e afluentes próximos evidenciando que a concentração está se espalhada pela área toda.

4 comentários:

  1. ...MEU DEUS É O FIM DO MUNDO HAAAAAAAAAAA rsrrs não serio agora rs um otimo tema para um investigação...imaginem um lance desse acontecendo na decada de 30........abraço pessoal...

    ResponderExcluir
  2. Esse mundo é um lugar realmente estranho...

    Chuva de animais, triângulo das Bermudas, substâncias misteriosas, luzes nos céus, objetos estranhos não identificados, avistamentos de monstros...

    Para encontrar inspiração para uma aventura de Call of Cthulhu é só abrir o jornal.

    ResponderExcluir
  3. Realmente intrigante. Como o Rod comentou, imagine isso em 1930 onde boatos iriam criar inúmeros boatos e superstições - mesmo achando que isso não muda na época contemporânea. Seria muito mais interessante se isso tive ocorrido na Antártida, aí sim seria algo realmente cthulhiano e que levaria e nos levariam para o mundo execrável da loucura. (Viajei nesse comentário)

    Espero que esse não seja mais um mistério da ciência e que logo descubramos qual é essa substância e o que realmente aconteceu para que ela tenha aparecido lá.

    ResponderExcluir
  4. Quando estive no nordeste, Eu e minha Esposa, em Maragogi, tambem algumas praias visitadas por nós apresentavam uma estranha espuma marrom-alaranjada. Na ocasião tambem chamou-me a atenção pois nunca havia visto algo assim antes.

    ResponderExcluir