quarta-feira, 25 de abril de 2012

Assimilação - A saga da Coisa continua nos quadrinhos da Dark Horse


Por Clayton Mamedes

Recordo da primeira vez que assisti “O Enigma do Outro Mundo”, ou The Thing do John Carpenter para os mais íntimos. Foi no Supercine da Rede Globo, em um sábado de bastante frio. Creio que estávamos em 1987, pois a minha irmã ainda era bebê e nem andava sozinha. Eu tinha somente 8 anos e, obviamente, fiquei extremamente impressionado com o que vi, naquela tela de 20” da Mitsubishi em cores (aquelas com a função ZOOM, bem safada). Imediatamente este filme hoje clássico, tornou-se o meu favorito, tratando-se de ficção científica. O clima de paranóia, fragilidade e o isolamento causado pelo ártico eram perfeitos.

No tempo certo, obtive o VHS do filme, depois o DVD, jogo para PC (que é legal até) e recentemente, consegui completar a coleção de HQ’s que tratam da mesma querida criatura assimiladora de formas de vida, que caiu em nosso planeta. Um trabalho que valeu a pena.

The Thing from Another World foi uma minissérie publicada pela Dark Horse Comics a partir de 1991. Esta editora detém os direitos para a adaptação em HQ’s de outras famosas franquias, como Predator, Aliens e Terminator. O primeiro arco, chamado simplesmente de The Thing from Another World, ocupou duas edições, tendo o seu início diretamente após o final do filme, mostrando os únicos dois sobreviventes do Outpost #31, MacReady e Childs. Escrita por Chuck Pfarrer e ilustrada por John Higgins, esta seqüência quadrinizada seria a mais ideal para uma eventual continuação do clássico de Carpenter: uma trama coesa, que consegue manter o clima de paranóia do filme. E com um trabalho de cores excelente. Algo que me chamou a atenção foi um linha do tempo presente em cada contra-capa, resumindo os principais eventos do filme e do HQ. Outra coisa bacana é a sessão de cartas no final da edição – uma coisa inimaginável hoje em dia.

As aventuras de MacReady continuam em julho de 1992, com o lançamento do segundo arco chamado The Thing from Another World – Climate of Fear, desta vez em quatro edições, com roteiro de John Arcudi e desenhos de Jim Somerville. Agora o nosso assimilador consegue escapar do continente gelado e se aproxima de terras habitadas. A troca dos autores foi sentida neste segundo arco, onde as ilustrações perderam um pouco do seu brilho e cores definidas, ganhando tons mais pastéis e difusos. Contudo, o argumento apresentou uma sensível melhora, com diálogos mais encorpados e situações ainda mais paranóicas. Sem dúvida, o melhor arco da série.

No final de 1993, o escritor David de Vries e o ilustrador Paul Gulacy nos trazem The Thing from Another World – Eternal Vows, a que seria a última aparição isolada da Coisa nos HQs. Desta vez, a criatura alcança uma pequena ilha na Nova Zelândia, espalhando o horror na sua forma mais assimiladora possível. Aqui temos outra mudança de ares, com ilustrações extremamente competentes, porém conservadoras (contrastando com o estilo radical do primeiro arco) e um enredo pouco inspirador. O ponto divertido da trama é a presença de diálogos que nos permitem vislumbrar os pensamentos da Coisa, seu modus operantis,instinto de sobrevivência e por ai vai. Uma incursão no coração do monstro. Infelizmente, é o que salva este arco.

Falando sobre jornada por dentro do monstro, vale a pena abrir um parêntese neste artigo para indicar a leitura de um conto baseado no filme do Carpenter, disponível na internet: The Things (http://clarkesworldmagazine.com/watts_01_10/). Escrito por Peter Watts, narra os acontecimentos do filme sob o ponto de vista do alienígena. Uma leitura bruta e bem conduzida.

Contudo, além destas três minisséries, a Coisa também figurou como coadjuvante na revista mensal Dark Horse Comics, começando outra trama em quatro partes presentes nas edições 13 a 16 do periódico mensal. The Thing from Another World – Questionable Research conta uma história alternativa com início também na cena final do filme, porém aqui, ninguém do Outpost #31 sobreviveu. Nenhum humano, pelo menos...

Este relato alternativo tem o competente e frenético argumento de Edward Martin III, junto com os carrancudos desenhos de Ted Naifeh, os piores de todas as séries.

Assim como Eternal Vows, Questionable Research acaba com um grande ponto de interrogação, permitindo aos leitores tirar as suas próprias conclusões e, ainda deixa o caminho aberto para eventuais continuações.

Atualmente não existem planos para HQ’s inéditas do The Thing e nem mesmo republicações destas edições de 20 anos atrás. Como se trata de uma pequena editora canadense, a tiragem destes exemplares foi baixa, o que torna os mesmos extremamente difíceis de serem encontrados. Fato este que é uma pena, pois um universo com tanto potencial para aventuras ainda permanece inerte, como se enterrado sob o gelo do ártico.

3 comentários:

  1. kara, eu vi esse filme no cinema em casa no sbt .. quando tinha uns 11 anos! virei fã! aliais, foi com essa idade que fui apresentado as grandes influencias artisticas da minha vida (alem do the thing ), lembro-me muito bem, do emblematico Akira passando de madrugada (sem cortes e dublado) na tv band! super show a hq!

    ResponderExcluir
  2. pra mim é o maior filme de terror que ja inventaram. desde q vi quando criança. se quer aumentar sua coleção da uma olhada nisso
    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-695483423-o-enigma-de-outro-mundo-the-thing-mcfarlane-_JM

    ResponderExcluir
  3. o amigo conhece algum link com esses hqs em pdf. não consegui encontrar e seria muito bom para os fans poderem ler tambem

    ResponderExcluir