quarta-feira, 2 de maio de 2012

Você consegue dizer Cthulhu? - O mais importante dos Grandes Antigos

As informações sobre a entidade conhecida como Grande Cthulhu são fragmentadas e incompletas. É improvável que a compreensão plena à respeito de Cthulhu seja um dia captada pela humanidade. Como compreender uma criatura que para nossos padrões é um Deus?

Alguns estudiosos do Mythos supõem que Cthulhu seja nativo de um mundo chamado Vhorl localizado na trigésima terceira nebulosa. Muitos questionam essa informação, acreditando que Vhorl seja na verdade uma outra dimensão que faz fronteira com a nossa realidade. Uma passagem dimensional ligandoVhorl ao nosso universo se abriria a cada ciclo de milhões de anos, marcado por um alinhamento cósmico. Este portal é centrado no coração da estrela binária de Xoth (pronuncia-se Zof). Através dessa singularidade cósmica, Cthulhu e sua prole de crias espaciais -- os Star-Spawns, teriam penetrado em nossa realidade clamando domínio imediato sobre Xoth.

Para outros estudiosos, Cthulhu sempre foi nativo de Xoth, e por essa razão os de sua raça são chamados Xothianos (Zofianos). Ele seria o consorte de Idn-Yaa uma entidade ainda mais obscura com quem acredita-se ele gerou outros Grandes Antigos, como Ghatanathoa, Ythogtha e Zoth-Ommog. Em algum momento, Cthulhu e seu séquito teria abandonado Xoth e viajado para Saturno em uma espécie de migração concluída na Terra.

"Por qual razão a Terra?" muitos perguntam. Porque o insignificante terceiro planeta de um ordinário Sistema Solar, na vastidão cósmica, teria sido escolhido por esse titã. Não há uma explicação razoável. Alguns ponderam que a Terra na aurora dos tempos teria condições semelhantes a Vhorl, mas essas suposições são tão boas quanto qualquer outra hipótese aventada.

Ao chegar em nosso planeta no Período Permiano, Cthulhu se estabeleceu em uma vasta ilha (ou continente) localizado no Oceano Pacífico. Seus servos construíram uma gigantesca cidade de pedra chamada R´Lyeh para ser o trono do seu império. A Terra, no entanto já vinha recebendo a atenção de outros conquistadores espaciais. A raça dos Anciões (Elder Things) havia estabelecido bases no planeta  há alguns milhares de anos.

Duas forças tão poderosas não poderiam coabitar um planeta tão pequeno sem resultar em atrito. Uma guerra sem precedentes pela primazia global eclodiu entre as duas facções. A ciência incrivelmente avançada dos Anciões foi empregada contra o poder maciço das crias de Cthulhu. Ao longo de séculos a disputa se manteve equilibrada com perdas pesadas em ambos os lados.

Quando a disputa começou a pender para as forças de Cthulhu, sobreveio um evento inesperado. Um alinhamento cósmico de estrelas em algum momento há 550 milhões de anos, forçou os Grandes Antigos a hibernar. Com efeito, a gigantesca cidade continente submergiu nas profundezas do Pacífico Sul causando tsunamis que remodelaram as massas continentais. As crias de Cthulhu e o próprio Senhor de R´Lyeh buscaram refúgio nesse último baluarte, convertido a partir de então em um gigantesco mausoléu.

Nessas ruínas, Cthulhu aguarda pacientemente o dia em que uma nova conjunção irá se formar permitindo que ele e suas crias retornem triunfantes. O tempo, pouco importa. A passagem de Eras nada mais é do que um piscar de olhos para aquele cuja existência é ilimitada.

Na atual conjuntura, nenhuma força existente no planeta pode fazer frente ao colossal poder de Cthulhu. Seu despertar, quando ocorrer, terá repercussões catastróficas para a humanidade e o mais provável é que nada sobreviva a esse evento.

O que é Cthulhu?

Alguns tomos proibidos contendo extenso saber do Mythos, tentam determinar qual o papel de Cthulhu no Universo.

Em alguns tratados esotéricos Cthulhu é chamado de Sumo Sacerdote de R´Lyeh, mas não há consenso a respeito de qual seria a entidade que ele venera se é que isso é cabível. Certos textos dizem que Cthulhu serve aos intentos de Yog-Sothoth, o que seria razoável se consideramos verdadeira sua suposta migração transdimensional. A ausência de símbolos devotados a Yog-Sothoth nas ruínas de R´Lyeh faz com que essa teoria seja polêmica. Da mesma forma, os Profundos (Deep Ones) que veneram Cthulhu, evitam qualquer menção a Yog-Sothoth nos seus ritos religiosos o que não faria sentido se Cthulhu fosse seu sacerdote.

O nome de Cthulhu é mencionado muito mais frequentemente do que o de qualquer outro Grande Antigo. Seu culto é e sempre foi o mais difundido e atuante no planeta. Não há como traduzir em números, mas e plausível supor que cultos devotados a Cthulhu sempre estiveram presentes na história humana, desde a Atlântida, passando pela primitiva Idade da Pedra, pelas civilizações da Babilônia e Egito, por Roma, até a Idade das Trevas e nos dias atuais. Cthulhu -- ou alguma manifestação dele por outro nome, é citado na filosofia chinesa, nos vhedas hindus, em trechos dos Manuscritos do Mar Morto, no Talmud e alegoricamente na Bíblia e no Alcorão.

Algumas passagens no Texto de R´Lyeh, sugerem que Cthulhu será o primeiro dos Grandes Antigos a despertar e que caberá a ele a tarefa de acordar os demais. Os Tabletes de Zanthu afirmam algo semelhante ao chamá-lo de Arauto do Despertar, "aquele que irá anteceder todos os outros".

Isso sugere que Cthulhu goza de certa importância diante dos demais Antigos, embora nem todas as divindades possam ser compreendidas como seus aliados. Na verdade, existe algum tipo de inimizade entre Cthulhu e seu "meio-irmão" Hastur, o Impronunciável. Novamente, as raízes desse conflito são desconhecidas, embora os cultistas de Cthulhu e Hastur se enfrentem até os dias atuais honrando essa antiga rusga.

Ao longo das eras, alguns escritos apócrifos tentam lidar com o enigma de Cthulhu. Em alguns textos, Cthulhu é apontado como um Elemental da Água, mas essa teoria é no mínimo controversa uma vez que o oceano parece bloquear seus sinais telepáticos para a humanidade. Como um ser que representa um elemento poderia ser contido por este próprio elemento?

O Manuscrito de Sussex, afirma que Cthulhu seria uma manifestação extremamente poderosa de Nyarlathotep, embora nenhum outro tratado o veja dessa forma. Outra interpretação controversa defende que Cthulhu é mais do que um Grande Antigo, na verdade ele seria um Deus Exterior que representa o poder da Gravidade e a Coesão gravitacional que permite o funcionamento das engrenagens cósmicas. Mas se isso é verdade, como Cthulhu poderia ser contido pelo próprio balé cósmico das estrelas? A maioria dos acadêmicos do Mythos refutam essas duas teorias, mas como saber ao certo?

Quando se trata de Cthulhu, nada é conclusivo ou absoluto.

Sua própria existência física é colocada em xeque por estudiosos que o interpretam apenas na esfera conceitual. Cthulhu para esses teóricos é uma entidade infradimensional que reverbera na mente humana desde o início dos tempos. Por isso, dizem eles, os sonhos são a base de sua comunicação. O Despertar de Cthulhu seria uma metáfora à descoberta da humanidade dessa herança ancestral ainda ativa no inconsciente coletivo humano. Por mais insana que fossem essas noções, elas encontraram defensores, sobretudo nos anos 1960-70 quando drogas eram usadas para apliar os sentidos na esperança de acessar a mente de Cthulhu e forçar um despertar.

A Forma de Cthulhu

A representação clássica de Cthulhu é aquela presente nas bizarras estatuetas usadas pelos seus cultistas. A maioria dessas estatuetas foram construídas por indivíduos que receberam as emanações telepáticas de Cthulhu e que moldaram pedra ou argila na forma daquilo que viam nos seus devaneios oníricos.

Muitos comentam que as estatuetas de Cthulhu causam uma violenta reação emocional naqueles que as vêem pela primeira vez. É possível que o subconsciente humano, de alguma forma, esteja condicionado a reconhecer Cthulhu como uma suprema ameaça. Em resumo, algo na figura grotesca de Cthulhu tráz à tona uma sensação de medo primitivo irracional implantada na mente do homem desde o início dos tempos.

[Nota: Essa é uma das melhores explicações sobre porque o Mythos causa insanidade na mente humana. É a explicação a qual eu costumo recorrer quando algum jogador afirma que nem todas as criaturas do Mythos ou seu conhecimento deveria ter um custo em sanidade. A loucura nesse caso não é causada pela informação em si, mas pela maneira que a mente humana registra essa informação e a interpreta por um viés de horror primitivo. Mas voltando ao texto...]

As estatuetas por mais tenebrosas que sejam, não são capazes de fazer frente ao verdadeiro horror que é contemplar o Grande Cthulhu. Nenhum artista humano, por mais inspirado ou degenerado, seria capaz de dar forma ao terror supremo. O Grande Cthulhu é a própria essência dos mais negros pesadelos.

Medindo mais de 40 metros de altura, ele é uma montanha antropomórfica. Sua cabeça se assemelha a um imenso octopus ou lula, dotada de milhares de longos tentáculos que se agitam sem parar e escorrem pela face como uma barba viva. Esses tentáculos são delicados, mas capazes de agarrar e apertar com enorme poder de constrição. Um tentáculo pode dobrar um vergalhão de ferro ou esmagar cada osso no corpo de uma vítima.

A multidão de tentáculos ululantes oculta uma boca dotada de fileiras e mais fileiras de dentes afiados que rasgam e dilaceram qualquer coisa lançada na garganta cavernosa. Uma substância escorregadia semelhante a bile goteja do orifício em longos fios de nauseante saliva. A boca é dotada de uma língua que raramente é vista, e embora a criatura provavelmente seja capaz de articular palavras, telepatia é sua primeira opção de comunicação.

Embora durante sua hibernação Cthulhu não careça de alimento, quando desperto ele precisa de nutrição. Inúmeras referências a fome de Cthulhu atestam que ele deve ser um carnívoro com predileção pela carne de criaturas sentientes.

Os olhos de Cthulhu irradiam a mais pura maldade e brilham com inteligência e propósito inumano. Toda a enorme cabeça bulbosa se assemelha a uma medonha massa fungóide, recoberta por uma película de óleo brilhante. Ela é esponjosa e flácida com carne que lembra borracha vulcanizada.

O corpo de Cthulhu é titânico e colossal, representado na iconografia como algo geralmente humanóide. Ele se curva horrivelmente ante o peso da cabeça desproporcional, acocorado sobre as pernas curtas em uma posição obscena. Seus braços muito longos e esguios terminam em dedos dotados de garras recurvas semelhantes a imensas cimitarras, afiadíssimas. Os membros inferiores possuem garras semelhantes. Embora flácidas, elas são capazes de rasgar chapas de aço e de cortar um humano em pedaços sangrentos.

Para sustentar a imensa massa corporal, Cthulhu é dotado de um par de asas que muitos comparam a asas de morcego. Na verdade, essas estruturas aladas são formadas por uma membrana cartilaginosa. Ao mover-se, o Grande Cthulhu usa as asas para manter seu equilíbrio batendo-as repetidas vezes. As asas embora sejam pequenas em comparação ao corpanzil são possantes o bastante para permitir alçar vôo e impulsioná-lo pelo ar.

Há fortes indícios de que a carne que compõe o corpo de Cthulhu não seja inteiramente material. Cthulhu seria portanto capaz de controlar a própria densidade corporal, tornando-se mais ou menos denso conforme sua vontade. É possível que o controle pleno dessa faculdade só se manifeste quando ele estiver definitivamente liberto dos efeitos das estrelas. Isso explica porque o corpo de Cthulhu pode ser desfeito por ataques diretos, como digamos, o choque do navio Alert. Mesmo com essa restrição, Cthulhu é capaz de se reintegrar em poucos minutos e assumir a forma original.

Nenhuma força conhecida pela humanidade é capaz de destruir seu corpo. Mesmo sob o efeito nocivo das estrelas, Cthulhu é capaz de reintegrar sua forma por completo não importando a potência da arma usada contra ele. Supondo que ele fosse bombardeado por um artefato nuclear, mesmo nesse caso, poderia se reintegrar em poucos instantes, tornando-se no processo radioativo e duplamente letal.

8 comentários:

  1. Viva Cthulhu!!! Ou melhor, que ele continue dormindo ;)

    ResponderExcluir
  2. Cthulhu não tem apenas 40 metros. Na vdd ele pode ser imenso msm, ficar de pé na fossas marianas com metade do corpo pra fora da agua...

    ResponderExcluir
  3. Algum de vocês já viu um desenho chamado Ben 10? É um desenho sobre alienígenas e o protagonista, o Ben, tem um inimigo alienígena que é uma espécie de conquistador de mundos. Ele se chama Vilgax e é muito parecido com Cthulhu. Se for possível, deem uma olhada. Eu gostaria de ver o que vocês conseguem descobrir sobre isso.

    ResponderExcluir
  4. DETALHE: Quando Vilgax é derrotado ele vai parar no fundo do mar, mas não antes de se transformar em um polvo gigantesco.

    ResponderExcluir
  5. Você conhece a história do Vilgax? Se souber me explica. Sabe, eu não vejo o desenho, mas gostaria de saber sobre outras dessas semelhanças entre Cthulhu e ele.

    ResponderExcluir
  6. não só Vilgax lembram-se do Filme Piratas do Caribe, uma criatura muito Peculiar :
    Davi Jones que controla o Kraken que nada mais é que um polvo gigantesco

    ResponderExcluir
  7. Pra descobrir como dizia o nome Cthulhu, recorri ao youtube, e veja, so', tinha um video so' pra isso rsrsrs...

    Pra quem conhece, e melhor ainda pra quem nao conhece, tenho esse post com uma resenha detalhadissima do conto "Morte Alada", ghost writing feito por Lovecraft para a "escritora" Hazel Heald.

    http://gamobranco.wordpress.com/2012/03/06/morte-alada-por-h-p-lovecraft/

    Ha tambem um post sobre a figura do autor, nao muito... digamos, favoravel. Os convoco a tecerem suas opinioes a respeito deste artigo em particular.

    http://gamobranco.wordpress.com/2012/03/30/o-homem-que-nao-amava/

    Grande abraco!

    ResponderExcluir
  8. Ph'nglui mglw'nafh Cthulhu R'lyeh wgah'nagl fhtagn, Muito bom artigo,continue em frente.

    ResponderExcluir